As maiores companhias aéreas do mundo já perderam US$ 110 bi em receita no ano

LATAM Delta American Guarulhos

Em 2020, os cancelamentos massivos de voos para controlar a propagação do vírus levaram a enormes quedas nas receitas de passageiros das companhias aéreas e causaram perdas surpreendentes às maiores companhias aéreas do mundo.

De acordo com dados apresentados pela StockApps.com, Delta Air Lines, American Airlines, Lufthansa Group, United Airlines, Air France e International Airlines Group, as maiores companhias aéreas do mundo em vendas, perderam US$ 110 bilhões em receita desde o início de 2020.

Nos EUA

Quase todas as grandes companhias aéreas foram duramente atingidas pela pandemia este ano. No entanto, as companhias aéreas dos Estados Unidos testemunharam a maior queda nas receita, chegando a US$ 63,9 bilhões em meio à pandemia de COVID-19

Entre janeiro e março, a Delta Air Lines, a maior companhia aérea do mundo em vendas, perdeu US$ 1,8 bilhão. O relatório de lucros da empresa mostrou que o segundo trimestre do ano apresentou perdas seis vezes maiores, com a receita caindo 88% ano a ano, para US$ 1,4 bilhão.

A forte tendência negativa continuou entre junho e setembro, com a empresa perdendo outros US$ 9,5 bilhões depois que a pandemia de coronavírus arruinou o que normalmente é um período de pico de viagens no verão. O prejuízo líquido da Delta foi de US$ 5,4 bilhões no terceiro trimestre, em comparação com um lucro de US$ 1,5 bilhão no mesmo período do ano anterior. As estatísticas mostram que a principal companhia aérea do mundo perdeu US$ 22,4 bilhões em receita acumulada no ano, a pior perda entre as seis empresas líderes.

A American Airlines, a segunda maior companhia aérea da lista e a principal em passageiros por quilômetro voado, perdeu US$ 21,1 bilhões em receita desde o início do ano. As estatísticas mostram que a empresa registrou a perda mais significativa no segundo trimestre de 2020, com as receitas caindo 86,4% ano a ano para US$ 1,6 bilhão, em comparação com US$ 11,9 bilhões no mesmo período do ano anterior. A receita do terceiro trimestre caiu 73% para US$ 3,1 bilhões, após uma redução de 59% no total de milhas disponíveis.

A United Airlines, a terceira maior companhia aérea dos EUA e a quarta maior globalmente, relatou um prejuízo de US$ 20,4 bilhões nos três trimestres de 2020, uma redução de 63% ano a ano. Os resultados do terceiro trimestre revelaram uma queda massiva de receita de US$ 8,8 bilhões, e a empresa informou um prejuízo de US$ 10 bilhões entre março e junho. Os dados do Yahoo! Finance também revelaram que a United Airlines testemunhou a queda mais significativa na capitalização de mercado entre as três principais companhias aéreas dos Estados Unidos, com o valor combinado das ações da empresa despencando 57% em relação ao ano anterior, para cerca de US$ 9,5 bilhões.

Na Europa

As três maiores companhias aéreas europeias perderam US$ 45,9 bilhões em receita
Embora as companhias aéreas dos EUA tenham sofrido mais duramente em meio à crise do coronavírus, as empresas europeias também relataram perdas tremendas em 2020.

A terceira maior companhia aérea do mundo com base em vendas e a maior da Europa, o Grupo Lufthansa, relatou perdas de US$ 10,6 bilhões na receita do primeiro semestre de 2020. O relatório financeiro da empresa alemã mostrou que o tráfego caiu significativamente devido à pandemia do coronavírus. As vendas (receita-passageiro-quilômetro) caíram 65% ano a ano, enquanto a capacidade (receita-passageiro-quilômetro) foi reduzida em 61% no período. Depois de demitir 8.300 funcionários entre janeiro e março, o relatório financeiro do primeiro semestre de 2020 confirmou que mais 22.000 estão por sair como parte de seu programa “Renew”.

A Air France-KLM sofreu uma perda de receita de US$ 20,4 bilhões no acumulado do ano. Os resultados do terceiro trimestre da empresa mostraram que a atividade da rede de passageiros foi reduzida para cerca de 40% dos níveis do ano passado. O aumento das restrições às viagens, o fechamento de fronteiras e a falta de viagens corporativas atrasaram a esperada recuperação do tráfego. Julho e agosto foram relativamente fortes em termos de tráfego, em comparação com um setembro decepcionante afetado por medidas restritivas de viagens. As receitas do terceiro trimestre despencaram 68,3% para € 2 bilhões, enquanto a perda de receita líquida totalizou mais de € 1,6 bilhão, uma redução de € 2 bilhões em comparação com o ano passado.

O International Airlines Group (IAG), como a sexta maior companhia aérea global, testemunhou uma perda de receita de US$ 14,9 bilhões entre janeiro e setembro. O relatório financeiro da companhia aérea anglo-espanhola mostrou que a capacidade de passageiros operada no terceiro trimestre caiu 78,6% ano a ano e 64,3% no período de nove meses. O IAG também relatou um prejuízo operacional nos nove meses de € 3,2 bilhões, em comparação com o lucro operacional de mais de € 2,5 bilhões um ano atrás.

As estatísticas indicam que as receitas combinadas das três maiores companhias aéreas europeias caíram US$ 45,9 bilhões desde o início do ano.

A história completa pode ser lida aqui: https://stockapps.com/worlds-largest-airlines-lost-110bn-in-ytd-revenue-delta-airlines-leads-with-a-22-4-bn-plunge/

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias