Ascendance opta por hibridizar seu sistema de propulsão de aeronave VTOL

Atea, o VTOL da Ascendance – Imagem: Ascendance Flight Technologies

A Ascendance Flight Technologies (AFT) anunciou que optou pela hibridização de seu sistema de propulsão de última geração chamado Sterna, voltado para aeronaves de decolagem e pouso vertical (VTOL) como seu projeto Atea.

Um modelo, segundo a própria AFT, “ambicioso e desenvolvido por uma joia de tecnologia limpa (“Cleantech”) que aspira à rápida descarbonização da aviação.”

A startup baseada em Toulouse, mesma cidade onde fica a Airbus na França, anuncia a constituição de um conselho de alto nível composto por Jean-Paul Herteman, Jean-Christophe Kugler e Agnès Plagneux Bertrand. Este é um passo estratégico para a Ascendance Flight Technologies, que ainda conta com Robert Lafontan, referência mundial da aeronáutica, assumindo como consultor especial.

Jean-Paul Herteman é ex-CEO da Safran, fabricante especializada em motores e equipamentos aeroespaciais e de Defesa. Jean-Christophe Kugler é ex-presidente da Região da Europa na Renault, com experiência em primeira mão no programa elétrico híbrido da Renault. Agnès Plagneux Bertrand é a ex-presidente do cluster de competitividade global Aerospace Valley, dirigiu a subsidiária VoltAir da Airbus entre 2013 e 2017, e gerenciou o programa de aeronaves elétricas E-Fan da Airbus.

A AFT ainda complementa que um acordo plurianual foi assinado com a Capgemini, uma empresa multinacional francesa de serviços e consultoria de tecnologia da informação.

Os engenheiros da Capgemini Engineering, trabalhando ao lado da Ascendance, contribuirão para o desenvolvimento de protótipos em escala real, visando o primeiro voo de demonstração pública.

“Nossa ambição é clara: nos tornarmos um ator-chave na aviação global do amanhã. Um futuro neutro em carbono que está determinado agora, com tecnologias disruptivas como as nossas, que são híbridas, modulares e seguras”.

O CEO da empresa, Jean-Christophe Lambert, afirma que a AFT é uma jovem empresa construída sobre a ousadia e o conhecimento de seus fundadores e que a estratégia e os ativos da empresa convenceram novos parceiros conhecidos por seus altos padrões.

O VTOL “Atea”

Imagem: Ascendance Flight Technologies

Atea é uma aeronave de 4 a 5 lugares e de decolagem e aterrissagem vertical (VTOL) projetada como uma alternativa limpa, silenciosa e eficiente ao helicóptero e será apresentada em parceria com a ADP (Aéroports de Paris) nas Olimpíadas de 2024.

Com sua autonomia de 400 km e redução da emissão de ruídos, é projetado para uso urbano e regional no transporte de passageiros, turismo, emergências médicas, logística e vigilância.

O sistema “Sterna” de propulsão

Imagem: Ascendance Flight Technologies

Sterna é uma tecnologia de propulsão híbrida que desbloqueia uma mobilidade de ar mais limpa. A arquitetura elétrica inovadora e a inteligência incorporada permitem o uso simultâneo de várias fontes de energia.

É um sistema modular, portanto, pode acomodar um módulo térmico ou novas soluções de hidrogênio, ajudando a impulsionar a transformação de energia na indústria de aviação. A empresa entrou com várias patentes sobre essas tecnologias.

Informações da Ascendance Flight Technologies

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Avião Embraer ERJ-145 CommutAir United Express

Jatos Embraer ERJ-145 da CommutAir ganham uma renovação total em seu...

0
A empresa aérea regional americana CommutAir anunciou na segunda-feira (6) o lançamento de um esforço para atualizar e substituir