Até 1500 pilotos e comissários podem ser afastados ou demitidos da GOL

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Aviões Boeing 737 GOL

A GOL Linhas Aéreas pretende abrir um Programa de Demissões Voluntárias para seus tripulantes, informou o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) nesta quinta-feira.

Segundo Ondino Dutra, presidente do SNA, a empresa fez uma reunião hoje informando que está com excedente de 200 tripulações segundo a previsão de voos para 2020 e 2021.

Para isso, a empresa planeja abrir Programa de Demissões Voluntárias (PDV), de Licença Não-Remunerada (LNR) e também um programa de aposentadoria antecipada para os tripulantes que estão próximos de se aposentar, além de um de jornada parcial de trabalho.

Não foram falados números de voos a serem reduzidos quando comparado com a malha da empresa, assim como quantas aeronaves a menos. Mas outras pessoas do sindicato falaram que seriam em torno de 1500 tripulantes a menos, sendo pelo menos 1000 deles comissários e os 500 restantes pilotos.

O número vai ao encontro do necessário para o excesso de 200 tripulações declarado, já que cada Boeing 737 da GOL leva até 189 passageiros, sendo necessários dois pilotos e quatro comissários, totalizando seis pessoas. Em uma matemática simples, o número seria de 1200 tripulantes, valor condizente já que todos os números divulgados são aproximados, podendo variar para mais e para menos de acordo com a necessidade da empresa, adesão em cada programa e também demanda de voos.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias