Ator Harrison Ford liberado para voar após sua última barbeiragem aérea

Foto de Gage Skidmore / CC BY-SA via Wikimedia

A Federal Aviation Administration (FAA) encerrou a investigação de um incidente envolvendo o ator Harrison Ford, de papéis memoráveis como Indiana Jones ou Han Solo (Star Wars), quando ele pilotava um pequeno jato e cruzou erroneamente uma pista. A autoridade americana decidiu deixar a Ford continuar voando.

O AVWeb atualiza que, o ator de Guerra nas Estrelas de 78 anos teve problemas em abril de 2020. O incidente ocorreu quando o Controle de Tráfego Aéreo disse a Ford para aguardar no ponto de espera antes de cruzar a pista do Aeroporto Hawthorne na Califórnia, mas o ator acelerou para a pista e começou a cruzá-la. Felizmente, não havia perigo de acidente porque outra aeronave ainda estava a cerca de um quilômetro de distância da pista quando o avião do ator ingressou.

De acordo com diferentes fontes, Ford afirmou ter ouvido mal as instruções e pensou que tinha sido liberado para cruzar a pista em vez de “esperar na barra de parada”.

Depois que o ator concluiu um curso de treinamento corretivo para incursão na pista, a FAA decidiu encerrar o caso e permitir que o ator continuasse voando.

Ator coleciona ocorrências

Apaixonado por aviação, Ford possui sua licença de pilotagem e realiza voos com aeronaves próprias. Harrison Ford é piloto licenciado há décadas e tem mais de 5.000 horas de voo.  Entretanto, assim como seus personagens, ele parece que tem alguma dificuldade de se manter longe de situações perigosas.

O caso acima é o segundo incidente com risco de colisão em que se envolve o ator. No primeiro, em fevereiro de 2017, a aeronave que ele pilotava passou bastante próxima a um Boeing 737 da American Airlines no momento em que Ford pousava no aeroporto John Wayne, na California. Ao invés de pousar na pista principal, ele confundiu-se e o fez na taxiway.

Além dos incidentes, o ator ainda enfrentou dois acidentes aeronáuticos. Em 2015, fez um pouso forçado em um campo de golfe depois que seu avião teve uma falha de motor, segundo constatado por investigação do NTSB, o Departamento de Segurança dos Transportes. E, 21 anos atrás, em 1999, precisou fazer um pouso de emergência em um rio da California com o helicóptero que pilotava.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias