ATR-42-500 da Omni Táxi Aéreo volta à ativa após manutenção no trem de pouso

Avião ATR 42-500 Omni

Após ter passado por uma rápida manutenção nas oficinas da Passaredo em Ribeirão Preto (SP), no final de junho, e ter ficado armazenado no Rio de Janeiro (Galeão), o turboélice ATR-42-500 da Omni Táxi Aéreo (PR-OHS) está de volta à ativa. Segundo dados do RadarBox, o último voo comercial realizado pela aeronave aconteceu em outubro de 2020.

Em seu retorno, a empresa tem programados dois voos ligando Juazeiro do Norte, Belo Horizonte (Confins) e o Rio de Janeiro, conforme consta do registro de voos da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). A programação é a seguinte:

8 DE JULHO – Decolagem do Rio de Janeiro às 14h30 e pouso em BH (Confins) às 15h20 (voo OMI-9000). Às 16h30, parte de BH para Juazeiro do Norte, onde aterrissa às 19h30 (voo OMI-9001).

9 DE JULHO – Decolagem de Juazeiro às 18h00 e chegada a Confins às 21h (voo OMI-9002). Depois, parte às 21h30 para o Rio de Janeiro, onde pousa às 22h20 (OMI-9003).

A empresa é especializada no transporte de equipes de trabalham nas plataformas de petróleo da costa fluminense, embora possa também alugar as aeronaves a qualquer outra empresa que necessite de serviço de táxi aéreo.

Enquanto a grande frota de helicópteros da Omni tem se mantido ativa, o ATR-42 pouco voou durante a pandemia, apenas sendo acionado em serviços pontuais ligando o Rio de Janeiro a Cabo Frio e Maricá. Anteriormente, a aeronave, que tem capacidade para 48 passageiros, chegou a ser alugada para a MAP e realizou rotas dessa última no norte do país.

Em 14 de outubro, a empresa apresentou a proposta de instalação e funcionamento de uma linha aérea entre os municípios de Manaus, Cruzeiro do Sul, Rio Branco e Porto Velho com o ATR 42-500. À época, a empresa disse que estava providenciando o pedido para atuar na região Norte junto à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e pediu o apoio do governador do Acre, Gladson Camelino, para ajudar no andamento do processo de liberação.

No entanto, não há atualização sobre o avanço desse processo.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Airbus vende 56 aviões para a Índia e 40 deles serão...

0
É o primeiro programa aeroespacial 'Make in India' no setor privado, envolvendo o desenvolvimento de um ecossistema industrial completo.