ATR 72 avança para a pista com Boeing 737 prestes a pousar

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Um incidente entre um ATR 72 e um Boeing 737 foi registrado na última terça-feira, 19 de janeiro, quando o primeiro avançou pela área de segurança da pista enquanto o segundo estava em aproximação prestes a pousar.

O ATR entrando na pista no momento em que o Boeing 737 arremetia – Imagem: FlightRadar24

Segundo informações do The Aviation Herald, a situação se desenvolveu no Aeroporto Václav Havel, de Praga, na República Tcheca. O turboélice era o ATR 72-600F registrado sob a matrícula EI-GUL, operado pela companhia aérea ASL Airlines Irlanda sob as cores da FedEx, enquanto o jato era o Boeing 737-400F de matrícula OO-TNQ, operado pela ASL Airlines Bélgica.

O ATR taxiava no aeroporto de Praga para partir no voo de número ABR1RG, com destino ao Aeroporto Charles de Gaulle, de Paris, na França, e foi instruído a aguardar no ponto de espera da pista 24, no momento em que o B737 chegava do Aeroporto Tuřany, em Brno, República Tcheca, no voo TAY4091.

O jato estava na aproximação final da pista 24 descendo a cerca de 450 pés (137 metros) acima do terreno e 1,25 milha náutica (2.300 metros) antes da cabeceira da pista, ou seja, em torno de 40 segundos do pouso, quando a torre percebeu que o ATR estava cruzando a linha do ponto de espera e instruiu os pilotos do Boeing a arremeterem.

O 737 arremeteu, subiu para 4000 pés, posicionou-se para outra aproximação para a pista 24 e pousou com segurança cerca de 15 minutos depois. Enquanto isso, cerca de 6 minutos após o incidente, o ATR partiu da pista 24 e seguiu até seu destino.

O Boeing 737 iniciando a segunda aproximação após o incidente – Imagem: FlightRadar24

Após a ocorrência, o Controle de Tráfego Aéreo de Praga confirmou o incidente, relatando que o ATR da companhia irlandesa cruzou a linha do ponto de espera durante o taxiamento para a pista 24 devido a um erro do piloto, violando assim a zona de segurança da pista, e que o controlador, portanto, instruiu o 737 na curta final a arremeter.

Um relatório foi apresentado à autoridade de investigação de acidentes da aviação (UZPLN) da República Tcheca para que o caso seja analisado.

As condições meteorológicas dos horários próximos ao da ocorrência mostram visibilidade horizontal maior que 10 km e base das nuvens a 1000 pés acima do solo, portanto, os pilotos do Boeing 737 possivelmente arremeteriam nos momentos seguintes, ao verem o ATR entrando na pista.

Entretanto, este caso revela mais uma vez a importância do controlador de tráfego aéreo estar atento à movimentação das aeronaves para intervir diante de qualquer violação, da mesma forma que aconteceu com o Cessna Caravan e o Boeing 737 da Gol nesta semana, em que a controladora instruiu a arremetida do jato em função do turboélice entrando em rota de colisão (caso não tenha visto o caso, clique aqui ou no título abaixo para acessar).

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias