Atriz acusada de desviar dinheiro de vítimas do acidente do 737 MAX para ostentar riqueza

Foto de PK-REN, CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Um grande escritório de advocacia de Chicago acusou uma estrela da série de TV “Real Housewives of Beverly Hills”, e seu marido, em um processo federal na quarta-feira, 2 de dezembro, de um esquema para desviar dinheiro de acordos relacionados ao acidente com o Boeing 737 MAX 8 da Lion Air (voo 610).

Segundo a Reuters, o processo foi movido pela grande firma de advogados Edelson PC e nomeia Erika Girardi como ré junto com o marido Thomas Girardi, o seu escritório de advocacia Girardi Keese e outros. A Edelson alega que Girardi desvia dinheiro para manter o status de celebridade do casal e para “projetar uma imagem pública de riqueza em todos os momentos e a qualquer custo”.

Uma das alegações gira em torno do caso relacionado no tribunal de Durkin, que trata da queda do Boeing 737 Max 8 em outubro de 2018. Uma atualização da ação judicial disse que a Boeing chegou a acordos individuais com vários clientes e famílias representadas por Girardi Keese e por Edelson, com os termos primários alcançados no início de 2020.

No entanto, a Edelson diz que indagou vários dos envolvidos e recebeu respostas mistas sobre o recebimento dos recursos, concluindo que muitos dos familiares de vítimas não teriam recebido os valores que lhes são devidos, ou que os teriam recebido parcialmente.

O processo acusa Girardi e sua esposa de levarem um estilo de vida “opulento”, apontando para um gasto de US$ 40.000 por mês. “Erika até canta uma música chamada ‘Expen$ive’, com o refrão ‘é caro ser eu’”, observa o processo. A Edelson também diz que o processo de divórcio do casal seria uma mera fachada para proteger seus bens.

No processo, a Edelson pede ao juiz que obrigue a criação de uma estrutura intermediária (trust) no processo para primeiro beneficiar os familiares de vítimas da Lion Air antes de pagar o dinheiro devido aos advogados. A Edelson também escreveu que, de sua parte, “não aceitará quaisquer honorários advocatícios por seu trabalho” no litígio da Lion Air até que “todo e qualquer cliente tenha sido pago integralmente”.

As demais partes denunciadas não se pronunciaram à Reuters.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Para-brisa de avião da Ryan Air pega fogo em voo e...

0
O avião enfrentou o princípio de incêndio a bordo, levando os pilotos a agirem para evitar que evoluísse para consequências graves em voo.