Atualizações sobre o incidente do Boeing 747 com peregrinos na Nigéria

Reportes das mídias ao redor do mundo indicam informações desencontradas sobre o incidente ocorrido neste sábado (7) com um Boeing 747 da Max Air, que transportava centenas de peregrinos.

Confira a seguir algumas atualizações que estão sendo divulgadas ao longo das últimas horas sobre a ocorrência.

Avião Boeing 747 Max Air peregrinos

Segundo informações do nigeriano Premium Times, a Max Air afirmou que fortes chuvas torrenciais com ventos instáveis ​​afetaram sua aeronave na chegada a Minna, e o diretor de operações de voo da companhia, Ibrahim Dill, atribuiu o acidente à situação no aeroporto.

Dill disse, neste domingo (8), que o sistema de aterrissagem por instrumentos no aeroporto era errático com sinais não confiáveis. “Nossos pilotos executaram a aproximação aérea usando sua riqueza de experiência e conhecimento do terreno e do ambiente, para pouso e parada seguros na pista, durante as quais um dos motores roçou a pista.”

“Todos os relatórios necessários do incidente foram arquivados. Oficiais da Autoridade de Aviação Civil da Nigéria (NCAA) e do Departamento de Investigação de Acidentes (AIB) inspecionaram a aeronave e a pista, e estão satisfeitos”, afirmou.

Em sua reação, o chefe da Comissão Nacional do Hajj simplesmente negou que o acidente tivesse ocorrido.

“O resultado de nossas descobertas mostrou que não houve pouso de emergência ou pouso forçado de qualquer avião em Minna envolvendo peregrinos sendo transportados de volta à Nigéria pela comissão”, disse Abdullahi Muhammad à Agência de Notícias da Nigéria.

“Alguns dos passageiros com quem conversamos sobre o assunto disseram que estavam ouvindo as supostas notícias pela primeira vez e que não havia conhecimento no que dizia respeito a elas”, disse Muhammad.

Entretanto, segundo o site Sahara Reporters, uma testemunha ocular disse que a maioria dos passageiros estava em choque.

A peregrina que estava na aeronave afetada, Hajiya Asabe, disse estar aterrorizada, acrescentando que, como resultado do ocorrido, três mulheres desmaiaram.

“Foi Allah quem salvou a situação. Houve um barulho alto que causou pânico e gritos de todos os cantos. Começamos a orar e houve um impacto durante o processo de aterrissagem que abalou todo o avião, o que também aumentou o pânico.”

“Mas, Alhamdulillah, todos nós estamos bem, com exceção daquelas que desmaiaram e foram levadas às pressas para o Hospital Geral de Minna. Quando pousamos, notamos que a aeronave pousou de lado”, explicou ela.

Ela disse que, pela discussão das autoridades, o piloto deve ter cometido um erro durante o processo de pouso. “Nós os ouvimos dizendo que era um problema técnico e que o piloto realmente não acertou em cheio”, acrescentou.

O Departamento de Investigação de Acidentes (AIB) afirmou, em comunicado, que “A partir das informações fornecidas, a aeronave raspou a pista no pouso devido a seu motor nº 1 arrastar-se sobre a superfície.”

Segundo o comunicado, a aeronave Boeing 747-400 de registro 5N-DBK partiu do Aeroporto Internacional King Abdul Aziz, em Jeddah, na Arábia Saudita, com 560 passageiros e 19 tripulantes, antes do incidente ocorrer na aproximação final da pista 23 do aeroporto de Minna.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.