Autoridades vão resgatar Boeing 737 afundado no mar do Havaí

Seção fronta do Boeing acidentado – Imagem: NTSB

O Conselho Nacional de Segurança dos Transportes dos Estados Unidos (NTSB) está enviando uma equipe de investigadores para a região da amerissagem de um jato de carga Boeing 737 na ilha havaiana de Oahu para coordenar a recuperação dos destroços do fundo do oceano.

O acidente aconteceu com o Boeing 737-200 da TransAir de matrícula N810TA, quando voando com destino a Kahului, Havaí, no dia 2 de julho deste ano. Durante a subida inicial, os pilotos relataram anomalias em ambos os motores e o avião caiu na Baía de Mamala logo após a decolagem do Aeroporto Internacional Daniel K. Inouye, de Honolulu, Havaí.

Os dois pilotos escaparam da aeronave e foram resgatados pela Guarda Costeira dos EUA e a Unidade de Combate a Incêndios de Resgate de Aeronaves do Aeroporto de Honolulu.

“Os destroços do voo TransAir 810 contém informações investigativas importantes, incluindo aquelas capturadas pelo gravador de dados de voo e pelo gravador de voz do cockpit”, disse a presidente do NTSB, Jennifer L. Homendy. “Ter acesso aos gravadores, motores e outros componentes será fundamental para entender não apenas como este acidente ocorreu, mas como futuros acidentes podem ser evitados.”

A fuselagem se partiu em duas partes: a seção traseira com as asas e a cauda fixadas e a seção dianteira que inclui a cabine dos pilotos. Ambos os motores se separaram das asas no momento do impacto. Todos os destroços estão em uma plataforma oceânica a uma profundidade que varia de 350 a 150 metros. O local fica a cerca de três quilômetros da Praia Ewa, em Honolulu.

A seguradora da TransAir contratou várias empresas para trazer os destroços e a carga para a superfície. Os principais equipamentos envolvidos na operação de recuperação serão um navio de pesquisa com veículos operados remotamente (ROV) e uma barcaça equipada com um guindaste.

O esforço de recuperação está previsto para começar em ou por volta de 9 de outubro. Vários investigadores do NTSB estarão a bordo do navio de pesquisa para coordenar o trabalho de recuperação.

Embora tenha havido uma pesquisa subaquática inicial feita logo após a amerissagem para confirmar a localização e disposição dos destroços, a equipe realizará outra pesquisa com os ROVs para determinar se houve alguma mudança na orientação dos destroços. Após a pesquisa, os ROVs serão usados ​​para instalar os equipamentos de recuperação de cada um dos motores e seções da fuselagem para serem levados para a superfície.

O gravador de dados de voo e o gravador de voz do cockpit estão localizados na fuselagem traseira do avião e serão recuperados após a seção ser trazida à superfície. Os gravadores são de particular interesse para os investigadores por causa das informações de voo e cockpit que podem fornecer dados sobre o desempenho e a operação do avião. Os gravadores serão transportados para o NTSB Recorder Laboratory em Washington, DC, onde os dados serão baixados para análise.

Os investigadores do NTSB documentarão os destroços em Honolulu antes que os motores e outros componentes selecionados sejam encaixotados e enviados da ilha para as instalações na parte continental dos EUA para exames e testes adicionais.

Espera-se que toda a operação de recuperação leve de 10 a 14 dias, dependendo do clima e de outros fatores.

O investigador responsável pelo NTSB realizará uma coletiva de imprensa em Honolulu no dia 8 de outubro para fornecer informações adicionais e mais detalhes sobre a operação de recuperação. O local e o horário do briefing serão anunciados na semana que vem.

Informações do NTSB

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Confirmado que o A321neo entrou em estol no grave incidente de...

0
Os investigadores da agência russa Rosaviatsia apresentaram mais detalhes em seu primeiro informativo de segurança relacionado ao incidente.