Avança o projeto de produção de SAF do qual a empresa aérea KLM faz parte

Avião Boeing 777-300ER KLM
Boeing 777-300ER da KLM – Imagem: 湯小沅 / CC0, via Wikimedia Commons

A Agência de Energia da Suécia anunciou na última quinta-feira (17) uma concessão financeira para o consórcio formado por KLM, Södra, Växjö Energi, SkyNRG, RISE Research Institutes of Sweden e a ONG 2030-sekretariatet, para avanço das pesquisas do desenvolvimento da produção do Combustível Sustentável de Aviação (Sustainable Aviation Fuel, ou SAF, em inglês) na região de Växjö, em Smaland, na Suécia.

O financiamento apoiará o consórcio a prosseguir seus estudos em uma instalação integrada de produção de SAF usando resíduos florestais por meio do processo químico Fischer-Tropsch. A estrutura imaginada tem potencial para ser um importante passo rumo a tornar a aviação mais sustentável.

A Agência de Energia da Suécia concedeu ao consórcio o montante aproximado de 500 mil euros para o financiamento do projeto.

A estrutura de Fischer-Tropsch para produção de SAF integrada à produção de bioenergia já existente tem o potencial de desenvolver combustíveis sustentáveis de alta qualidade e reduzir as emissões de gases de efeito estufa no setor de aviação. A produção da planta pode servir como prova de conceito para muitas instalações futuras. Em 2026, a planta poderá estar operacional com um volume de produção anual de 16 toneladas de SAF.

Consórcio holandês-sueco cobre toda a cadeia de valor

O consórcio, que representa toda a cadeia de valor da produção, une forças para aumentar a disponibilidade de SAF na Suécia e no norte da Europa. Para atingir as demandas futuras de parceiros, o grupo pesquisará todas as frentes de engenharia, técnica, negócios e sustentabilidade do projeto.

ONGs, o governo sueco, a Södra, os sistemas de certificação, acadêmicos e o Conselho de Sustentabilidade da SkyNRG estão sendo envolvidos para estabelecer a estrutura de sustentabilidade ideal para este projeto. Fatores de sustentabilidade considerados no estudo incluem o balanço de carbono e a biodiversidade da floresta, bem como potenciais efeitos de deslocamento ambiental ao utilizar-se resíduos florestais para a produção de SAF.

SAF indisponível em larga escala

A atual geração de aeronaves requer combustíveis líquidos. Esses aviões não podem mudar para fontes alternativas de energia como o hidrogênio ou eletricidade no curto prazo, bem como as estruturas aeroportuárias também não podem.

O SAF, como “alternativa”, é a solução para reduzir drasticamente as emissões de CO2 na aviação no curto e médio prazo, sem modificações à infraestrutura ou a equipamentos.

O SAF ainda não está amplamente disponível, mas tem potencial para reduzir 75% a 100% das emissões de carbono em sua forma pura, dependendo da combinação de tecnologia e matéria-prima, e com o cumprimento de rigorosos critérios de sustentabilidade.

KLM: foco em tecnologias alternativas

Karel Bockstael, vice-presidente de Sustentabilidade da KLM, afirma que para se tornar mais sustentável no futuro, a companhia está focada em ampliar a produção e uso do SAF:

“Por mais combustível sustentável de aviação, nós devemos focar em todas as tecnologias lado a lado e encorajar a escalada inicial das estruturas de produção. O apoio na Suécia é um passo importante no seu desenvolvimento. As atuais tecnologias, baseadas em óleo de cozinha usado, atingirão seu limite devido à escassez, e o desenvolvimento de SAF sintético sustentável tem desafios financeiros e tecnológicos a serem superados.

A tecnologia que desenvolveremos na Suécia é baseada na síntese do processo de Fischer-Tropsch, e produz combustível de aviação com base em resíduos florestais. Há muito destes resíduos disponíveis na Suécia e no resto da Europa, o que torna este projeto promissor”.

Södra: sivicultura familiar de pequena escala de 53 mil proprietários florestais

Lotta Lyrå, president e CEO da Södra, um grupo internacional da indústria florestal e a maior associação de proprietários florestais com 53 mil membros, diz que a Södra está dedicada a maximizar o uso de cada árvore que vem de seus membros no sul da Suécia:

“Usar cada parte – como resíduos – é a chave para a nossa ambição de mostrar o caminho para uma sociedade livre de combustíveis fósseis e contribuir para a transição climática. Produzir SAF de alta qualidade a partir de resíduos florestais não utilizáveis para construções ou outros materiais é um caminho a ser adotado e ajuda a descarbonizar a aviação. Com esse consórcio, estamos trabalhando através de toda a cadeia de valor para darmos os próximos passos rumo à criação de uma nova indústria de SAF”.

Växjö, a cidade mais verde da Europa

Erik Tellgren, CEO da Växjö Energi, provedora de produtos e serviços nas áreas de eletricidade, aquecimento e refrigeração urbanos no município de Växjö, na Suécia, comenta:

“A Växjö Energi proporciona a produção eficiente de aquecimento e refrigeração urbanos e de eletricidade livres de substâncias fósseis na planta CHP (Combined Heat and Power – Energia e Calor Combinados) Sandviksverket no município de Växjö. Cidade mais verdade Europa, tem uma forte motivação para continuar contribuindo para reduzir a mudança climática.

“Nós também acreditamos ser benéfico expandir nossa planta para produzir combustível sustentável de aviação a partir de resíduos florestais. Esse seria um projeto grandioso e único, de vital importância para a necessária transição para a energia sustentável”.

SkyNRG, líder em SAF

Maarten van Dijk, diretor-gerente da SkyNRG, pioneira em SAF com o maior time da indústria dedicado ao combustível sustentável de aviação, também fala do projeto:

“O potencial para o uso de resíduos florestais para uso final de alto valor, como o SAF, está aí. Mas antes de dar o próximo passo em escala, é fundamental entendermos a sustentabilidade e os impactos desta cadeia de fornecimento nova e integrada. Portanto, estamos gratos pela forte parceria e suporte financeiro do governo sueco para darmos o próximo grande passo na compreensão do verdadeiro potencial dessa configuração de matéria-prima/tecnologia”.

Informações do Grupo Air France-KLM

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias