Aviação agrícola brasileira poderá ser utilizada em combate a incêndios florestais

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

O projeto de lei que autoriza o uso da aviação agrícola no combate aos incêndios florestais no Brasil já foi aprovado pelo Senado e agora está transitando na Câmara para análise dos Deputados.

Imagem EMBRAER

O projeto trata de uma mudança na lei 12.651, de 25 de maio de 2012, também conhecido como Código Florestal, e que autorizaria, caso aprovado, o uso das aeronaves da aviação agrícola no combate aos incêndios florestais no Brasil, principalmente em biomas mais vulneráveis como do Pantanal e da Amazônia.

Com cerca de 2.300 aeronaves, o Brasil tem a segunda maior frota aero agrícola do mundo, perdendo apenas para os Estado Unidos.

A aviação agrícola utiliza essas aeronaves para combater pestes nas lavouras através de voos baixos em aviões específicos, equipados com grandes tanques que, geralmente comportam pesticidas, mas podem comportar qualquer tipo de líquido como água ou retardante (composto químico que retarda a proliferação do fogo) para combate aos incêndios.

O parlamentar da frente ambientalista, deputado Dr. Leonardo, do partido Solidariedade do Mato Grosso, falou sobre o PL em entrevista à TV Câmara no último dia 22 de outubro. Ele ressaltou que, na aviação agrícola, existe um período de ociosidade e que esse período coincide com a época mais propícia aos grandes incêndios nos biomas mais vulneráveis.

Outro importante ponto ressaltado pelo parlamentar foi o de que cerca de 60% da frota é fabricada aqui no Brasil, pela Embraer. Com cerca de 1.600 aeronaves do modelo Ipanema, que possui um tanque de, em média, 900 litros. Porém, temos aviões maiores na frota, como o Air Tractor do corpo de bombeiros do estado de Brasília, modelo 802F que tem uma capacidade de armazenamento de 3 mil litros e também um Hércules, modelo C130 da FAB que tem uma capacidade de armazenamento de 12 mil litros.

O deputado mato-grossense fez questão de ressaltar que serão necessários treinamentos específicos de pilotos, equipes de emergência em solo para agir em casos de acidentes e até dos brigadistas que estarão combatendo o fogo com as aeronaves.

Dr. Leonardo explicou que a utilização dos aviões será para auxiliar os bombeiros que combatem o incêndio nas florestas. Muitas vezes, devido à altura das chamas, os brigadistas não têm acesso ao foco, o que dificulta o combate. Com as aeronaves agrícolas jogando água nas chamas, elas ficariam menos altas facilitando assim o acesso dos combatentes.

Air Tractor Avião Agrícola

Sobre a atual situação do combate aos incêndios florestais no Brasil, questão que ganhou manchetes internacionais esse ano, o parlamentar exaltou o trabalho das autoridades, porém ressaltou que falta equipamento e que o tempo de combate é crucial para o sucesso da operação, visto que todo grande incêndio começa pequeno e a demora da ação é a grande causadora das grandes tragédias ambientais.

O alto comando da Aeronáutica, em contato com a Assessoria Parlamentar, está aguardando mais informações sobre o projeto, como o programa de treinamento dos pilotos e as adaptações necessárias nas aeronaves, para dar uma opinião técnica da viabilidade da utilização das aeronaves.

Veja a entrevista na íntegra do Deputado Leonardo, Solidariedade-MT, para o programa Palavra Aberta da TV Câmara clicando aqui.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Claudio Brito
Apaixonado por aviação desde o berço como filho de comissário de bordo, realizou o sonho de criança se tornando comissário em 2011 e leva a experiência de quase 10 anos no mercado da aviação. Formado Trainer em Programação Neurolinguística, conseguiu unir suas duas paixões, comunicação e aviação.

Veja outras histórias