A aviação está parando: parecem imagens da crise do 737 MAX, mas são pelo coronavírus

Os mais desavisados poderiam confundir. Fotos de dezenas de aviões estacionados lado a lado tornaram-se comuns ao longo dos últimos meses devido à crise do 737 MAX. Porém, as fotos não são na fábrica da Boeing, e sim do outro lado do mundo.

Aviões Parados Aeroporto Nanning China Coronavírus
Aeronaves fora de operação na China – Imagem: China Aviation Review

A aviação está sendo paralisada pelo coronavírus. Não somente a aviação, é claro, já que toda a economia mundial se mostra afetada pelas restrições de trânsito de pessoas e mercadorias ao redor do mundo. Bolsas de valores despencam nessa semana, refletindo a preocupação com o aumento de casos da doença COVID-19 em mais países.

Mas, como de costume, a aviação tem uma grande sensibilidade mesmo às mais singelas alterações econômicas. E, assim, já vem demonstrando com muita intensidade os impactos dessa crise. Isso porque, além do próprio impacto econômico, ela ainda veio com os bloqueios de entrada e saída de viajantes por diversos países, bem como o cancelamento de planos de viagem de muitas pessoas assustadas com o risco de se contaminarem com o coronavírus.

Imagens impressionam

Com tudo isso, as imagens impressionam. Dezenas de aviões estão estocados em diversos aeroportos pela China. Uma das aviações mais pujantes do planeta está parcialmente no chão.

Veja a seguir as imagens do aeroporto de Nanning, o 26º mais movimentado do país, segundo o China Aviation Review. Mais de 20 aviões de diversas empresas, todos fora de operação. E o portal chinês ainda destaca que essa é apenas uma versão em “miniatura” do status atual da aviação civil chinesa.

Em Hong Kong, um dos aeroportos mais movimentados do mundo, a situação se repete. E ainda agravada pela crise financeira da Hong Kong Airlines, que desde o ano passado luta para não fechar as portas por conta dos protestos da população local, que também afetaram a companhia aérea antes da crise do coronavírus.

Mas note, nas imagens a seguir, que até mesmo a gigante Cathay Pacific tem muitas de suas grandes aeronaves paradas diante da falta de passageiros para justificar a continuidade dos voos. A aviação chinesa inclusive já está menor do que a de Portugal, conforme revelou um estudo recente.

Mas não é só na China

E não é só nas proximidades do epicentro da crise de saúde que as companhias aéreas estão sofrendo com a queda significativa do número de viajantes.

Segundo informações da Reuters, um pouco mais ao sul da China a Singapore Airlines, de Cingapura, acaba de anunciar a seus funcionários que suspenderá temporariamente mais de 3000 voos de fevereiro até o final de maio, respondendo por 9,9% da capacidade programada do grupo.

A finlandesa Finnair também já anunciou o afastamento compulsório de centenas de pilotos devido à baixa do movimento, e a norte-americana United Air Lines declarou prejuízo em suas operações para Hong Kong.

Com as recentes notícias de crescimento de casos de COVID-19 em países ocidentais, especialmente na Itália nessa semana, tudo indica que em breve veremos mais fotos de outros aeroportos com mais companhias aéreas mantendo parte de suas frotas em solo.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Decola rumo ao Brasil mais um avião 737 MAX para a...

0
Mais uma moderna aeronave Boeing 737 MAX chegará nas próximas horas ao Brasil para ser agregada à frota da GOL Linhas Aéreas.