Avianca 99 anos: parceria com a United, hubs na Argentina e México

A Avianca continua com seu plano de expansão pelas Américas, com a pretensão de se tornar uma “companhia aérea panamericana” segundo o presidente da Avianca Holdings, Hernán Rincón, em entrevista a revista Estrategia&Negocios.




Hernán é o presidente da Holding que é o resultado da fusão da Avianca Colômbia e da TACA, e hoje controla as filiais da Avianca na Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, Peru e Nicarágua. Por sua vez esta holding é do Synergy Group, a qual também se submetem a Avianca Brasil e Avianca Argentina.

E esta presença em 10 países será aumentada em breve, caso as negociações com a mexicana Aeromar se concluam, e então nasça a Avianca México. Uma parceria com a United também está sendo desenhada, e é favorecida pelo recém aprovado acordo de céus abertos entre EUA e Brasil, que já resultou num joint-venture das concorrentes LATAM e American Airlines.

“O acordo avança de maneira satisfatória. Estamos convencidos que a United é uma ótima parceira por diversas razões. Primeiro que também somos Star Alliance, que facilita o trabalho em conjunto mais elaborado e detalhado. Em segundo lugar, a United tem uma cobertura muito grande na América do Norte e Ásia, e nós na América Latina. Voamos hoje para 14 cidades norte-americanas, porém chegaremos a 20 nos próximos anos” afirmou o presidente.

A Avianca completa seu centenário em 2019, é a segunda companhia aérea mais antiga do mundo ainda em operação, ficando atrás apenas da holandesa KLM, que apesar de mais velha suspendeu as operações durante a Segunda Grande Guerra, sendo a Avianca considerada a aérea com maior longevidade no mundo.

Segundo Hernán, é a primeira vez que a Avianca faz uma parceria desta magnitude, e o fato da United ser uma empresa bem maior faz com que as negociações não sejam tão rápidas, mas que segundo ele estão avançando.

Conflito com a Copa Airlines, novos hubs e parceria com a Iberia

Quando questionado sobre a incompatibilidade com a Copa Airlines, que possui grande participação acionária e estratégica da United Airlines, e además também é membro da Star Alliance, Hernán foi direto:

“O modelo da Copa e da Avianca são totalmente diferentes. Temos modelos de hub na América Latina incluindo San Salvador, Lima, São Paulo, Bogotá e no futuro Buenos Aires e Cidade do México. Este não é o modelo da Copa que é ponto a ponto concentrando as operações pelo seu hub no Panamá. Obviamente competimos em alguns casos, mas não em todos.”

O presidente destacou que através da Star Alliance existe uma cooperação básica para que os clientes disfrutem de serviços e benefícios de ambas, e que a Avianca mudou sua mentalidade sendo mais inteligentes para parcerias com empresas que antes eles consideravam concorrentes, como a Iberia.

A empresa espanhola mantém acordo com a Avianca para distribuição dos passageiros que viajam entre a América Latina e Espanha, que possui um imenso fluxo de passageiros e é um dos motivos dos trabalhos para se estabelecer a Avianca México. “O acordo é tão grande que daria méritos para esta colaboração com a Iberia”.

Outro detalhe é a expansão do hub em San Salvador, com o recebimento de 4 aeronaves Airbus A320neo, que amplia o leque de destinos a serem servidos a partir do aeroporto salvadorenho, incluindo São Paulo e Vancouver. Ainda não está certo a questão da fusão da Avianca Holdings e Avianca Brasil, que segundo Hernán disse em outra entrevista meses atrás, foi adiada “devido a ainda instabilidade do mercado brasileiro”.

Pela revista Estrategia&Negocios

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos