Avianca Argentina suspende reservas de voos a partir de agosto e não paga salários

ATR 72 da Avianca Argentina. Imagem: Rodrigo Néspolo

Os funcionários da Avianca Argentina declararam que vão entrar em greve nesta sexta-feira (7) devido ao atraso no pagamento de salários e ao não-posicionamento da empresa a respeito da situação. Nos sistemas de reservas, a empresa excluiu todos os seus voos a partir de 1 de Agosto de 2019. A medida ainda não significa a parada total, mas sinaliza que o fim pode estar próximo.

A empresa foi a primeira a entrar no mercado argentino após sua abertura, em 2015, e chegou com o ambicioso plano de voar mais de 100 rotas domésticas e internacionais. Logo no início, a empresa se viu numa polêmica, acusada de conflito de interesse ao comprar a empresa Macair (da família do presidente Macri) por US$ 10 milhões e sem passar por todos os trâmites legais, ferindo-lhe a imagem.

Mais recentemente, se viu numa briga acirrada de preços com as low-costs Flybondi e Norwegian, além de reclamar frequentemente dos subsídios governamentais dados à Aerolíneas Argentinas. Outro fator preocupante é a oscilação do câmbio e a fragilidade da economia argentina, que ainda não se reencontrou após quatro anos de governo Macri.

Como resultado, aviões devolvidos e rotas canceladas, deixando a empresa com apenas dois ATR-72, cinco rotas e apenas 142 funcionários com salários atrasados. Um pedido similar ao de ‘recuperação judicial’ foi solicitado ao governo, mas ainda não houve resposta.

Será que a empresa seguirá o mesmo caminho da sua irmã brasileira?

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.