Avianca Brasil comenta sua aquisição de 62 aeronaves A320neo.

AviancaA320neo111

A Avianca Brasil anunciou ao mercado que a encomenda de 62 aeronaves A320neo divulgada esta semana pela fabricante Airbus faz parte do plano de negócios definido pela companhia, que prevê a operação da frota mais jovem, moderna e eficiente do país. Atualmente, a idade média dos aviões da empresa, de 3,7 anos, é a mais baixa entre as operadoras nacionais.

“O contrato que assinamos com a Airbus reafirma nosso compromisso de oferecer sempre o melhor produto da aviação comercial brasileira e destaca nossa confiança no potencial do mercado no médio e longo prazos. O país incluiu mais de 75 milhões de pessoas no transporte aéreo na última década e acreditamos que esse número continuará crescendo”, disse Frederico Pedreira, presidente da Avianca Brasil.

O executivo destacou que uma parte significativa da encomenda dos jatos A320neo fará parte do processo de renovação contínua da frota. Hoje, a Avianca Brasil opera 40 aeronaves de passageiros dos modelos A318, A319 e A320 e um cargueiro A330.

A família A320neo incorpora as tecnologias mais avançadas disponíveis, como motores de última geração que proporcionam mais de 15% de economia de combustível. A redução do consumo resultará em menos emissões atmosféricas, bem como se refletirá positivamente na rentabilidade da empresa. A Avianca Brasil anunciou também que pretende homologar essas aeronaves para futuramente operar na Ponte Aérea entre o Rio de Janeiro e São Paulo.

“Hoje, atendemos esse importante mercado com o A319, configurado com 132 assentos. O A320neo nos permitirá aumentar a oferta com 33 poltronas adicionais, mantendo o mesmo padrão de conforto, que é a marca da Avianca Brasil. Somos a única empresa aérea brasileira a apresentar a categoria ‘A’ do Selo Dimensional ANAC em todas as fileiras de assentos de todas as aeronaves da frota e pretendemos manter esse diferencial”, continuou Pedreira.

A Avianca Brasil começou a utilizar aeronaves da Airbus em 2010, tendo tomado a decisão estratégica de padronizar toda a sua operação com jatos da fabricante. Desde então, a companhia aumentou em seis milhões o número de passageiros transportados ao ano. Em 2015, apresentou a mais alta taxa de ocupação média do setor nacional, de 83%.

Da Assessoria de Imprensa.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduado em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

AIAS Romênia Acidente Trem de Pouso 767 Omni

Dados preliminares do Boeing 767 cujo trem de pouso quebrou ao...

0
O trem de pouso do Boeing 767 se partiu instantes após o pouso. Veja tudo que já foi levantado até agora pelos investigadores sobre o caso.