Avianca ganha novo fôlego e quer emplacar nova estratégia para crescer

Embraer E190 da Avianca
Embraer E190 da Avianca, forma retirados como parte da reestruturação da aérea

Como forma de ganhar um fôlego para seu apertado fluxo de caixa, a centenária marca Avianca Holdings vinha buscando, desde 14 de agosto, negociar com credores um processo financeiro conhecido como troca de títulos. Por ele, a empresa reajusta seu fluxo de caixa, trocando títulos (obrigações de pagamento) que venceriam em uma certa data, por outros títulos, vencendo em uma data posterior, diluindo suas obrigações de pagamento. Nesse processo, a empresa buscava renegociar seus títulos com vencimento em maio de 2020, totalizando US$ 550 milhões.

A boa notícia para a Avianca foi anunciada à meia noite de 11 de setembro, quando a empresa declarou que o processo foi bem-sucedido, alcançando uma renegociação para 86,4 %. do total de títulos. Adrián Neuhauser, CFO da Avianca Holdings comemorou a ampla participação e o alto percentual demonstra, para ele, a confiança dos portadores de títulos no plano de longo prazo que a empresa elaborou e que consiste em reduzir os níveis de endividamento, aumentar o fluxo de caixa e otimizar a lucratividade e a eficiência operacional.

O presidente da Kingsland Holdings, Roberto Kriete acrescentou que está muito feliz com o resultado. O executivo havia se posicionado de forma bastante dura no mês passado, dizendo à imprensa que a Avianca estava “quebrada”.

Enquanto isso, outra acionista do grupo, a United Airlines, parabenizou o corpo executivo da Avianca Holdings por conseguir trocar de maneira bem-sucedida a maioria dos títulos. O VP de Alianças da United, John Gebo, reforçou o compromisso de conceder, junto com a Kingsland, um financiamento de 250 milhões de dólares à empresa mais antiga das Américas, contanto que algumas outras condições sejam seguidas pelo grupo.

Todos os que assumiram o compromisso estarão sujeitos à troca de seus títulos nas condições acordadas no memorando de oferta de troca, obtendo garantias reais. Além disso, sujeito ao investimento da United Airlines e da Kingsland Holdings Limited de até 250 milhões, o prazo do título será prorrogado, automaticamente, por três anos e com um cupom (juros) de 9%.

A Avianca Holdings trabalha rapidamente para formalizar os consentimentos necessários de outros credores, bancos e instituições financeiras para conceder as garantias oferecidas na troca. Enquanto eles se materializam, a empresa estendeu o fechamento da transação até 25 de setembro. Durante esse período, os detentores de títulos que não participaram teram a chance de fazê-lo.

Com muita história para contar, a Avianca Holdings fechará 2019 com uma frota de aproximadamente 156 aeronaves e uma rede de rotas composta por 76 destinos em 27 países das Américas e Europa. São mais de 21.000 funcionários e mais de 30,5 milhões de passageiros transportados. Em 22 de fevereiro de 2019, a Avianca apresentou seu plano de transformação corporativa composto por quatro pilares: 1) melhorar os indicadores operacionais 2) ajustes do plano de frota. 3) otimização da rentabilidade operacional. 4) desinvestimento de ativos não estratégicos. Em 24 de maio, o controle da empresa foi assumido pela Kingsland Holding Limited como um terceiro independente da United Airlines.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.