Avião A320neo da Azul bate com a cauda na pista durante pouso em Campinas

Um Airbus A320neo da Azul, prefixo PR-YRQ, teria sofrido um tailstrike, quando a cauda do avião acerta a pista do aeroporto durante a decolagem ou pouso. Segundo o leitor que nos enviou as fotos e que pediu para não ser identificado, o incidente teria ocorrido na última quinta-feira, dia 17 de outubro, em Campinas.

Segundo dados do Flightradar24, o último voo comercial do PR-YRQ aconteceu exatamente no dia 17, quando ele fez o voo AD6970 de Recife para Campinas, tendo pousado em Viracopos às 16h36 locais. Depois disso, não há outros voos registrados para a aeronave até este domingo, quando surgiu a programação de uma rápida viagem até São José dos Campos sob um código de voo fretado, provavelmente para reparos na Digex.

Provável última rota do YRQ e registro do voo a São José dos Campos

Para quem está pouco familiarizado, a Digex é uma empresa tradicional do meio aeronáutico, operando desde 1992, inicialmente como empresa aérea de carga, depois tendo se especializado em manutenção e construído dois hangares em São José dos Campos. Dentre as várias certificações que detém, uma delas é para a manutenção de Airbus A320, inclusive a família neo.

O que é um “tailstrike”?

Na aviação, o “tailstrike” ocorre quando a cauda de uma aeronave atinge o solo ou outro objeto fixo. Isso pode acontecer tanto na decolagem onde o piloto gira o nariz para cima muito rapidamente ou num ângulo acima do esperado, quanto no pouso, onde o piloto mantém o nariz muito alto durante a aproximação final.

cauda

Geralmente, incidentes de tailstrike leves não são perigosos, mas a estrutura da aeronave pode ser afetada e deve ser minuciosamente inspecionada e reparada para evitar um acidente mais desastroso mais tarde em sua vida útil.

Os reparos podem ser difíceis e caros se a fuselagem tiver sido comprometida. Sabe-se que inspeções e reparos inadequados em estruturas danificadas após um incidente assim, podem causar uma falha estrutural catastrófica muito tempo após o incidente, após vários ciclos de pressurização.

cauda

PR-YRQ, a aeronave envolvida

O avião envolvido no incidente é um A320neo como mencionado acima, com pouco tempo de uso. Ele foi fabricado no fim de 2017 e entregue diretamente de fábrica para a Azul Linhas Aéreas em Fevereiro de 2018, portanto ele tem 1,7 ano de uso.

Batizado como “Azul é 10”, ele tem 174 assentos, portanto a configuração padrão da empresa para esse modelo e é equipado com dois motores CFMI LEAP-1A26

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.