Início Variedades Avião Airbus A319 de Maduro é visto no radar usando ‘callsign’ obsceno...

Avião Airbus A319 de Maduro é visto no radar usando ‘callsign’ obsceno e gera repercussão

O jato Airbus A319 da Fuerza Aerea Venezolana, que serve para transporte VIP do governo de Nicolás Maduro, foi visto em alguns voos nessa semana. Sempre que a aeronave decola, gera alguma repercussão, mas, mais do que seu último voo para o Irã, um callsign obsceno que pôde ser visto pelo mundo todo, chamou a atenção.

Callsign é o código de chamada da aeronave no rádio. Geralmente é usado o número do voo, no caso de empresas aéreas ou a matrícula da aeronave, no caso de voos privados. Da mesma forma, os equipamentos ADS-B, que enviam dados para os sistemas receptores em solo, também são configurados para refletir tais informações. No entanto, à revelia do piloto, esse código pode ser alterado.

https://twitter.com/pburelli/status/1325954844016959488

Foi exatamente isso o que fizeram os pilotos do jato presidencial venezuelano num trecho entre Porlamar, Maracaibo e Caracas, no dia 9 de novembro. Não se tem informações de quem estava a bordo ou qual o motivo do voo, mas os pilotos usaram o callsign obsceno “MMGVO” no voo oficial, como mostra os tuítes nesse post, mas que também é possível ver no histórico do FlightRadar24. Nos comentários, houve quem risse e quem criticasse a atitude dos pilotos.

“MMGVO” é a abreviação na internet de “Mamaguevo”, um xingamento muito comum no norte da América do Sul, especialmente na Venezuela e Colômbia. O significado você encontra numa rápida busca no Google, embora seja intuitivo descobrir.

https://twitter.com/Arr3ch0/status/1326058070187909120

Voo para o Irã

Também na semana passada, o jato, que tem matrícula YV2984 e que foi pintado em 2019 nas cores da Conviasa (antes ele tinha as cores do Governo da Venezuela), foi visto em rota para o irã, também sem um motivo declarado pelo governo bolivariano, embora fontes comentem que o objetivo seria a realização de treinamento de pilotos.

Segundo dados do FlightRadar24, o jato percorreu a rota ligando Caracas, Guiné-Bissau e Irã no dia 14 de novembro.