Avião do “Juízo Final” voa após Trump pegar Coronavírus e gera tumulto

Um tumulto foi gerado na internet após um jato, conhecido como o “Avião do dia do Juízo Final”, decolar no mesmo dia em que o Donald Trump testou positivo para o Covid-19.

E-6B Mercury – U.S. Air Force photo by Christopher Okula

O voo do E-6B Mercury da Marinha Americana aconteceu ontem (2) quase no mesmo momento em que o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciava que ele e sua esposa, Melania Trump, tinham testado positivo para o novo Coronavírus.

O E-6B é um Boeing 707 convertido para missões de posto de comando aéreo e comunicação do alto escalão do governo americano. Ele é operado pela US Navy, e é uma versão militar do Boeing 367-80, antecessor do 707, e que serviu de base para a maioria dos quadrijatos militares da Boeing, como o KC-135 da Força Aérea dos EUA (USAF).

Por que Avião do Juízo Final?

O jato possuí uma dezena de sensores especiais e antenas, que permitem comunicar com os militares em terra, servindo como um “backup” caso algo de pior aconteça em solo.

Além disso, por ser um avião operado pela Marinha, ele tem a capacidade de comunicar e dar ordens aos submarinos de mísseis balísticos da classe Ohio, que podem disparar mísseis nucleares UGM-133 Trident II com alcance de mais de 12 mil quilômetros.

Não bastasse este poder, o E-6B também tem comunicação direta com o comando de mísseis da USAF, que operam os poderosos LGM-30 Minuteman, que também são misseis balísticos de grande alcance. Somados com as bombas nucleares lançadas de aviões como os bombardeiros B-1 Lancer e B-2 Spirit, formam a tríade nuclear dos EUA.

Com tanto poder de comando em apenas um avião, ele também foi apelidado de Doomsday Plane (“Avião do Apocalipse”) por algumas pessoas, apesar de este apelido ter surgido antes para o Boeing 747 da USAF que exerce função similar, mas que levaria o presidente, algo não previsto no E-6B.

Logo, o E-6B também é chamado de Nuclear Doomsday Plane ou Last Judgment, respectivamente “Apocalipse Nuclear” ou “Juízo Final”, já que suas funções são mais voltadas para a frota de submarinos nucleares com capacidade de atingir qualquer alvo no globo. E exatamente por causa de todo esse aparato que o seu voo num dia de “fraqueza” de Trump chamou a atenção.

Alvoroço sem sentido?

Em torno de 40 minutos antes do anúncio oficial, quando já era madrugada nos EUA mas os rumores do teste positivo de Trump já circulavam nos bastidores de Washington, um E-6B foi avistado no aplicativo de rastreamento de voos ADS-B Exchange em voo pela costa leste americana.

Minutos depois, outro E-6B foi avistado, mas desta vez na costa oeste. Com isso muitas pessoas começaram a questionar a coincidência, incluindo um repórter da NBC News (abaixo), e elaborar até teoria das conspirações, já que os dois aviões estariam protegendo as duas costas dos EUA, simultaneamente, e serviriam como backup um do outro.

Isso gerou uma histeria no Twitter, com todo tipo de conspiração.

Inclusive, vale dizer que o codinome oficial do E-6B é Looking Mirror, ou simplesmente Espelho de Rosto em português, exatamente para espelhar as funções de um centro de comando destruído em solo no pior dos casos. Mas o próprio Comando Estratégico do Departamento de Defesa comunicou que eram missões rotineiras e pré-programas, afirmando que “foi apenas coincidência com o anúncio do presidente”.

Outras pessoas que moram perto de bases onde os 16 jatos E-6B são baseados, também falaram que eles têm voado com a mesma frequência de sempre. Logo, não parece que os EUA estariam esperando que Trump ficasse “fora de serviço” e que esta “fraqueza” fosse uma brecha para possível ataque inimigo, sendo necessário o uso do Looking Mirror.

Já o verdadeiro avião do Dia do Apocalipse, um Boeing 747-200 modificado, esteve no Brasil em 2018 trazendo o “Santo do Caos”, relembre:

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Aeroporto do Galeão conquista certificado de gerenciamento aeroportuário de carbono

0
Trata-se de um pontapé inicial para que os aeroportos possam trilhar um caminho de controle e diminuição da emissão de carbono.