Avião ATR-72 acaba com os dois pneus dianteiros estourados em incidente de pouso

Os pneus do ATR-72 estourados – Imagem: Tarun Shukla, via AvHerald

Um avião turboélice ATR-72 terminou impossibilitado de sair da pista em seu pouso em um incidente no qual ambos os pneus do trem de pouso dianteiro terminaram estourados.

O caso aconteceu pouco mais de uma semana atrás, no dia 14 de junho, e o avião envolvido, segundo informações do The Aviation Herald, foi o ATR-72-212A (72-600) registrado sob a matrícula VT-IYX, operado pela companhia aérea indiana IndiGo.

ATR 72-600 da IndiGo, semelhante ao do incidente – Imagem: Dylan Agbagni / CC0 1.0, via Wikimedia Commons

O bimotor comercial estava realizando o voo de número 6E-7979, de Kannur para Hubli, ambas na Índia, com 7 passageiros e 4 tripulantes, e fez sua aproximação para a pista 26 de Hubli às 20:00 locais, quando, após o toque, os pilotos decidiram rejeitar o pouso devido a fortes rajadas de vento cruzado.

Foi efetuado o procedimento de arremetida e a aeronave entrou em procedimento de órbitas de espera, até que realizou outra aproximação para a pista 26 cerca de 30 minutos depois. O pouso foi concluído com sucesso, mas, ao final, o ATR terminou desativado na pista devido aos pneus do trem de pouso dianteiro estourados.

Trajetória nas imediações do aeroporto entre as duas aproximações – Imagem: RadarBox

A pista ficou fechada por cerca de 4 horas até que a aeronave pudesse ser retirada. Segundo informações do aeroporto, logo após o toque, a tripulação relatou que suspeitava que tinha os pneus estourados e parou na pista.

Na última quinta-feira, 24 de junho de 2021, o escritório de investigação de acidentes (AIB) da Índia abriu uma investigação, apresentando o relato da ocorrência acima descrito e classificando como um incidente sério.

Não há um detalhamento sobre o que se suspeita que possa ter levado ao estouro dos pneus. Até a publicação desta matéria neste dia 26 de junho, o ATR-72 não havia voltado a decolar, segundo os registros das plataformas de rastreamento de voo.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias