Avião brasileiro Super Tucano é capturado por extremistas no Afeganistão

A volta do grupo Talibã ao poder do Afeganistão após 20 anos resultou na captura de vários equipamentos dados pelos americanos ao governo local, incluindo os aviões brasileiros A-29 Super Tucano da Embraer.

U.S. Air Force photo/Staff Sgt. Larry E. Reid Jr.

A aeronave foi desenvolvida pela Embraer, que fabrica parte de suas peças em Gavião Peixoto (SP), antes de enviá-las à Flórida, onde sua montagem é finalizada nas instalações da Sierra Nevada Corporation, parceira da empresa brasileira.

Este processo é necessário (e se tornou o trunfo da Embraer) pelo fato da montagem ser feita em território americano e, portanto, considerado um produto americano, podendo entrar nos programas de financiamento e apoio dos EUA aos seus aliados. Dentre eles está o Afeganistão, que começou a receber aeronaves em 2016, quando um governo afegão apoiado pelos EUA controlava o país e o Talibã estava em um de seus piores momentos.

Ao todo, foram encomendadas 26 aeronaves para o Afeganistão, sendo que metade delas já foram entregues. Desde 2016, os aviões turboélice têm exercido a função de ataque ao solo, combatendo os extremistas com uma boa taxa de sucesso, sendo uma grande vitrine para a Embraer.

No entanto, com a saída dos EUA do Afeganistão, o Talibã avançou rapidamente e já está na entrada de Cabul. Tropas americanas foram enviadas para evacuar a embaixada americana e outras pessoas de interesse dos EUA, numa cena que remete à Queda de Saigon em abril de 1975, quando o Vietnã do Norte quebrou o tratado de paz assinado em Paris em 1973 e invadiu o Sul.

Imagens começaram a circular na internet mostrando ao menos um A-29 Super Tucano capturado pelos talibãs, supostamente na Base Aérea de Mazar-i-Sharif, onde a maioria das aeronaves está baseada.

Reportes da manhã de domingo, 15 de agosto, apontam que a Base Aérea de Bagram, que foi o principal posto dos EUA até a retirada das tropas, também foi tomada pelo Talibã e diversas armas foram apreendidas, incluindo drones e helicópteros Blackhawk.

Com a captura do Super Tucano, é a primeira vez que o Talibã tem acesso à aviões operacionais de combate. Não se sabe ao certo a capacidade deste grupo em operar tais aeronaves.

Os EUA enviaram ontem alguns bombardeiros B-52 para atingir Mazar-i-Sharif e deixá-lo inutilizável. No entanto não foi divulgado se essa missão foi concluída e qual o nível dos danos.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Boeing 747 tem problemas em solo, empina e bate com a...

0
Um cargueiro do modelo Boeing 747-400F teve um pequeno incidente hoje de manhã, quando acabou empinando e batendo a sua cauda no chão.