Avião certo, linha aérea errada: Air France começa a aposentar o A380

Na tarde deste sábado, 23 de novembro, um Airbus A380 da Air France, registro F-HPJB, foi levado de Paris para Malta. Foi o último voo dele com a pintura da empresa francesa. A partir de agora ele passa novamente às mãos do grupo de leasing Dr. Peters e será pintado na cor branca.

Até 2022, a Air France espera aposentar todos os dez A380 de sua frota. Outra empresa que já iniciou o processo de aposentadoria dos aviões foi a Singapore Airlines, que deixou de operar cinco aeronaves do modelo, e uma delas tornou-se nesta semana o primeiro A380 no mundo a ser desmontado.

O futuro do A380 na Air France

Olhando para o futuro, a Air France está se esforçando para ser mais eficiente, além de oferecer um produto a bordo atualizado. Dois recursos que estão ausentes no Airbus A380. Comparado a aeronaves mais novas, como o 787 e o A350, o A380 simplesmente não oferece à transportadora a economia operacional esperada.

Último voo de Paris para Malta, rastreado no FlightRadar24

Além disso, dada a capacidade gigantesca, o A380 é mais difícil de encher do que um 787 ou A350. Ainda, o custo para atualizar toda a frota de A380 para as novas classes econômica e executiva seria altíssimo, inviabilizando a operação.

Na semana passada, durante a conferência IATA Wings of Change Europe, em Berlim, o CEO da Air France-KLM Ben Smith falou sobre a decisão de encerrar o longo relacionamento da Air France com o super-jumbo. Ele disse:

“É um avião pesado. Nos aeroportos para embarcar e desembarcar leva muito tempo com pontes especiais necessárias para acomodar o tamanho. Demora muito tempo para pegar suas malas, ele usa mais combustível. Operacionalmente, não é o melhor avião para usar. ”

Sua aposentadoria iminente é uma decisão apoiada pela da CEO Air France, Anne Rigail. Falando à Airline Ratings, ela apelidou o tipo de “totalmente obsoleto, muito caro, muito grande”. Críticas condenatórias, certamente, e algo que foi amplamente ecoado por Smith em Berlim. Ele ainda disse:

“Dois de nossos grandes concorrentes que também possuem o avião já têm cabines fantásticas … Para gastar esse dinheiro [na reforma das cabines], teríamos que ter rotas nas quais poderíamos usar esse avião”.

Avião Airbus A380 Air France
Única visita do A380 da Air France ao Brasil, durante a RIO2016

E reformar um A380 não é um trabalho barato. Smith mencionou um custo de cerca de €35 milhões (US$ 38 milhões) por aeronave, o que é claramente um investimento substancial para um avião que não é realmente adequado.

E não é apenas a mudança do interior que afeta a decisão. Para manter o A380 voando, uma manutenção pesada deve ocorrer em todas as dez aeronaves nos próximos dois anos. Isso por si só pode gerar custos que chegam a milhões, sem mencionar a perda de capacidade na frota enquanto a aeronave estiver fora de serviço.

Um ótimo avião, mas não para nós

Apesar de todas as críticas ao A380, Smith também admitiu que é um ótimo avião nas circunstâncias certas. Ele comentou:

“Obviamente, ele tem um papel especial em aeroportos congestionados. E é um ótimo avião para companhias aéreas que precisam atender a uma necessidade específica. Mas para nós, os aeroportos não estão cheios … [Temos] quatro pistas paralelas, que ainda têm capacidade. Para a maioria dos nossos principais destinos, ainda temos os slots e a capacidade de oferecer as frequências que queremos”.

O fim dele na Air France já começou, infelizmente.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias