Avião da Latam com 2 milhões de doses da Coronavac aterrissa no Chile

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Foto Aeropuerto AMB

Na manhã desta quinta-feira, 28 de janeiro, 2 milhões de doses da vacina chinesa Sinovac chegaram ao Chile em um voo da LATAM vindo da China, reportou nosso parceiro Aviacionline.

O voo LA-9579 que se encarregou de transportar as vacinas, saiu de Pequim, China com destino a Sydney, onde chegou após 10 horas e 38 minutos, para reabastecer e seguir para o Chile em um trecho que demandaria mais 11 horas.

Minutos depois das 9h30, hora local de em Santiago, o Boeing 787-9 Dreamliner de registro CC-BGN pousou no aeroporto Arturo Merino Benítez, com as doses da vacina Coronavac. A vacina Sinovac requer entre 2 e 8 graus para sua conservação, o que facilitou seu transporte aéreo com todos os requisitos necessários para sua conservação.

O Chile se prepara para uma vacinação massiva a partir dos primeiros dias de fevereiro enquanto espera a chegada de mais dois milhões de doses no próximo domingo, 31 de janeiro. A ordem de prioridade para vacinação é a seguinte:

Primeira etapa: trabalhadores da saúde, idosos e funcionários da administração estadual que desempenham funções críticas.

Segundo estágio: pacientes com doença crônica.

Terceira fase: bombeiros, pessoal de emergência, pessoas que trabalham nos serviços básicos, empresas de transporte, entre outros.

Esta semana o Instituto de Saúde Pública (ISP) aprovou o uso da vacina do laboratório Sinovac do Chile, conforme indicado pelo site 24 Horas, permitindo assim o início da vacinação a partir dos primeiros dias de fevereiro em todo o país com um total de 4 milhões de doses.

Enrique Paris, Ministro da Saúde, disse que os efeitos adversos da vacina são mínimos em adultos com mais de 60 anos e os dados preliminares de imunogenicidade são muito positivos. Alexis Kalergis, médico e diretor do Instituto de Imunologia e Imunoterapia do Milênio e acadêmico da Faculdade de Ciências Biológicas da UC, destacou que os estudos no Chile mostraram um bom histórico de segurança. 

A vacina chinesa requer duas doses, devendo a segunda ser aplicada entre 14 e 28 dias após a primeira.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Companhia aérea pretende servir gafanhotos fritos a passageiros no serviço de...

0
Na semana passada, compartilhamos o vídeo de um homem vendendo gafanhotos a bordo de um voo da Uganda Airlines que partiria para Dubai.