Avião da Delta Air Lines perde escorregadeira de emergência em voo

A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) está investigando um incidente ocorrido neste domingo, 01 de dezembro, no qual uma escorregadeira de evacuação de emergência se soltou de um avião em voo e caiu no quintal de uma casa.

Avião Boeing 767-300 Delta Air Lines

O piloto do voo número DL405 da Delta Air Lines, que decolou de Paris, relatou um ruído alto quando o avião se aproximava do Aeroporto Internacional de Boston Logan por volta do meio-dia, segundo a FAA. Após o pouso, a tripulação descobriu que a escorregadeira traseira direita estava ausente.

A polícia de Milton, um distrito do subúrbio de Boston onde caiu o componente, mais tarde alertou a FAA de que a escorregadeira havia sido encontrada no quintal de um morador. Não foram relatados feridos ou danos à propriedade, disseram autoridades.

Escorregadeira Delta Air Lines
Policial de Milton verifica a escorregadeira na jardim – Imagem: Kevin Brown

A Delta Air Lines disse em comunicado que as equipes de manutenção estão inspecionando o avião.

“A Delta está investigando uma escorregadeira inflável que foi recuperada após o pouso de uma aeronave no Aeroporto Logan de Boston”, disse o comunicado. “O voo aterrissou sem incidentes e taxiou para o portão de desembarque.”

O incidente é potencialmente perigoso, pois ao se soltar do avião o componente poderia, por exemplo, ter se enroscado no profundor (parte horizontal móvel da cauda) e levado a problemas nos comandos de voo.

Segundo dados do FlightRadar24, a aeronave que realizou o voo DL405 deste domingo foi o Boeing 767-300 de matrícula N1607B. Até o fechamento desta matéria, a aeronave ainda não realizou nenhum outro voo.

FlightRadar24 Histórico 767 N1607B
Histórico de voos do Boeing 767 de matrícula N1607B – Imagem: FlightRadar24

Como funcionam as escorregadeiras de emergência?

Passageiros escorregando saída emergência avião
Escorregadeiras de emergência infladas

As escorregadeiras de emergência são escorregadores infláveis que ficam armazenados embaixo de cada porta e de cada saída de emergência das aeronaves comerciais.

Enquanto a aeronave está parada no embarque e desembarque, o sistema permanece desativado para que as portas possam ser abertas e fechadas sem que haja a ativação.

Porém, a partir do momento em que a aeronave vai iniciar seu deslocamento, as portas são colocadas em “modo automático” para que, no caso de uma emergência, sua abertura dispare automaticamente o sistema que infla as escorregadeiras, gerando um meio de saída rápida para todos que estejam a bordo.

São apenas alguns segundos para que uma escorregadeira esteja totalmente inflada, permitindo a evacuação rápida da aeronave, que deve ocorrer em no máximo 90 segundos.

No caso deste domingo da Delta Air Lines, como a aeronave estava em voo, o sistema automático não deveria ter liberado a escorregadeira.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.