Avião com dono do Liverpool FC saiu da pista após aplicação excessiva de freio, aponta relatório

A investigação de um incidente ocorrido em dezembro do ano passado, quando um jato particular saiu da pista do aeroporto John Lennon de Liverpool, Inglaterra, teve seu relatório final divulgado. A aeronave carregava Mike Gordon, presidente da Fenway Sports Group, empresa que faz a gestão do time de futebol Liverpool FC e do time de baseball Red Sox.

Imagem: AAIB

O incidente ocorreu em 11 de dezembro de 2019, às 05:50 da manhã, quando o jato Bombardier BD-700-1A10 Global 6000, registrado com a matrícula 9H-VJM, chegando de Bedford, EUA, pousou no aeroporto de Liverpool, mas perdeu o controle e saiu da pista.

Não houve danos ao avião e ninguém ficou ferido, mas a pista do aeroporto teve que ser fechada até a remoção da aeronave, que ficou atolada na grama ao lado da pista.

O Air Accidents Investigation Branch (AAIB), órgão que investiga acidentes aéreos no Reino Unido, emitiu no último dia 19 o relatório final, indicando que o incidente ocorreu devido a uma falha no trem de pouso de nariz (que dá o controle direcional) logo após o toque da aeronave no solo, seguida de uma frenagem inadvertida e excessiva do piloto, que culminou na perda do controle do avião.

O relatório investigou indícios de fadiga dos tripulantes, porém nada foi constatado nesse aspecto. O texto descreve com detalhes as últimas jornadas dos tripulantes, inclusive relata uma vinda ao Brasil, em 7 de dezembro, 4 dias antes do incidente. Mas após os levantamentos, a conclusão sobre esse ponto diz que os tripulantes estavam “alertas e engajados”.

A análise do fato foi descrita considerando que, após o toque do jato no solo e a falha no trem de pouso dianteiro, o piloto, instintivamente, pisou no pedal direito do freio com força. Segundo o relatório, o pedal dessa aeronave é muito sensível e fez com que, em conjunto com a falha da roda direcional, a ação culminasse na perda do controle do Bombardier.

Em depoimento, o piloto disse não lembrar de ter pisado no freio.

O texto aponta ainda uma questão técnica como causa do incidente, dizendo que o piloto não havia sido treinado para operar com frenagem diferencial em alta velocidade. Mas, ao final, conclui que ele reagiu por instinto e com toda sua atenção em manter a aeronave em linha reta.

Na página da divulgação do relatório, a Air Accidents Investigation Branch (AAIB) resume o incidente com o seguinte texto:

“A aeronave sofreu uma falha do controle de direção da roda do nariz logo após o toque. Durante a rolagem de pouso subsequente, o controle direcional foi perdido devido à aplicação inadvertida do freio à direita e a aeronave saiu da pista para a grama.”

Nas recomendações de segurança do relatório, sempre vitais para evitar novas ocorrências da mesma natureza, os investigadores colocaram as seguintes instruções.

“Gostaríamos de recomendar a todos os pilotos, na primeira ocasião e quando no
solo no estacionamento a bordo do avião, para aplicar a deflexão COMPLETA do leme.
Na deflexão total do leme, deve-se verificar se os dois freios podem ser acionados.
Além disso, observe que o pedal do leme oposto se move fisicamente para mais perto de seu corpo, então se você sentir a pressão do pedal mais próximo aumentando e você aplicar qualquer pressão de freio indesejada devido à posição do seu sapato no pedal, a posição dos pedais e/ou do seu assento deve ser ajustada. Isso deve ser verificado na
posição normal sentada com a respectiva posição dos pés adotada para decolagem
e pouso.”

Em função das conclusões sobre o incidente, em seu plano de treinamento para 2020 a operadora do jato incluiu uma falha do sistema NWS (controle direcional da roda de nariz) após o pouso como um cenário de mau funcionamento.

Após o susto sem danos materiais e sem feridos, uma fonte do Liverpool FC disse que Mike Gordon estava muito grato pelo excelente trabalho do staff de emergência do aeroporto.

Claudio Brito
Apaixonado por aviação desde o berço como filho de comissário de bordo, realizou o sonho de criança se tornando comissário em 2011 e leva a experiência de quase 10 anos no mercado da aviação. Formado Trainer em Programação Neurolinguística, conseguiu unir suas duas paixões, comunicação e aviação.

Veja outras histórias