Avião que já havia pousado num canteiro de rodovia, agora termina numa canaleta

Foto do Relatório do CENIPA

Tem aviões que passam a por sua carreira intactos, tem outros que apanham um pouco ao longo de sua vida. De fato, esse último parece ser o caso do PP-HRH, um avião monomotor do modelo 56-C-1 “Paulistinha” de 1964 (56 anos) que foi fabricado no Brasil pela Neiva Indústria Aeronáutica.

O relato, registrado no sistema do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), diz que tal aeronave registrou, na manhã do último sábado (28/11), seu segundo acidente, ao sair da pista durante o pouso em Catanduva e colidir com uma canaleta de drenagem de água situada na lateral da pista. Todos ficaram bem, menos o Paulistinha que sofreu danos substanciais no trem de pouso.

Em abril de 2015, porém, o caso foi mais sério. Segundo uma reportagem do G1, durante um outro voo de instrução, o aluno e o instrutor observaram que o motor da aeronave começou a falhar logo depois de decolagem, levando a um pouso forçado em pleno canteiro central da Rodovia Washington Luis. A foto que abre essa matéria foi retirada da base de dados do CENIPA e consta do relatório do acidente. Segundo o relatório, nada de errado no comportamento dos pilotos ou da aeronave foi identificado e a causa do acidente ficou indeterminada.

Embora antigo, o Paulistinha é um modelo de avião amplamente utilizado em aeroclubes Brasil afora para o treinamento de pilotos e, portanto, são acostumados a todo tipo de situação. Mais de 250 aeronaves desse modelo foram produzidas.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias