Aviões da Força Aérea voaram mais de 1.600h em voos de ajuda ao norte do país

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

O ano de 2021 continua a todo vapor para a Força Aérea Brasileira (FAB). Desde o dia 8 de janeiro, as aeronaves da FAB levam, em suas asas, ajuda àqueles que necessitam de apoio.

O envolvimento das aeronaves KC-390 Millennium, C-130 Hércules, C-105 Amazonas e C-99 da FAB, entre outras, na Operação COVID-19, em apoio exclusivo à região Norte do Brasil, ultrapassou, nesta quarta-feira (10), 1.600 horas de voo. As missões para atender ao sistema de saúde da Região Norte, sob coordenação do Ministério da Defesa, como o transporte de cilindros e tanques de oxigênio líquido, além da remoção de pacientes para diversas cidades brasileiras, permanecem ativas.

Ao longo deste período, a FAB realizou diversos voos com destino aos estados de Rondônia, Roraima e Amazonas, tendo o objetivo de suprir as demandas hospitalares de cada local.

Com isso, já foram transportadas cerca de 1900 toneladas de carga. Houve, ainda, a necessidade do transporte de pacientes em razão da lotação dos hospitais. De acordo com o Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), que coordena as missões na Operação COVID-19, até esta quarta-feira, foram transportados 628 pacientes. 

Nessa terça-feira (09), foram realizadas três missões de Transporte Aéreo Logístico: um C-105 Amazonas transportou, da Ala 8, em Manaus (AM), para o Rio de Janeiro (RJ), oito pacientes oncológicos com o objetivo de disponibilizar vagas na rede pública de saúde do estado; carregando 09 tanques de oxigênio líquido, um C-130 Hércules decolou, da Ala 1, em Brasília (DF), com destino a Manaus; já um KC-390 Millennium carregou, na capital federal, onde foi montada uma central de distribuição de oxigênio, 08 tanques de oxigênio líquido, que também foram transportados para o estado do Amazonas.

Na segunda-feira (08), um C-99 decolou, da Ala 8, com 18 pacientes e seis profissionais de saúde, para o Rio de Janeiro (RJ).

Para o Comandante da missão do C-99, Capitão Aviador Ricardo Gonçalves de Lima, do Primeiro Esquadrão do Segundo Grupo de Transporte (1º/2º GT) – Esquadrão Condor, atuar na Operação COVID-19 é motivo de satisfação. “É fundamental e importante a realização dessas missões, pois elas ajudam a salvar vidas, e isso nos traz motivação e orgulho. Toda a tripulação está empenhada e dedicada durante os voos”, destaca o Oficial.

Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Letícia Faria
Fotos: Elos do Sistema de Comunicação Social da Aeronáutica (SISCOMSAE)

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Latam decora aeronave com imagens de jogadores de futebol chilenos

0
A LATAM Airlines, como companhia aérea oficial da Seleção Chilena de Futebol, é responsável pelo transporte dos jogadores e da comissão