Após demissões e saída do Galeão, CEO da Azul fala sobre a situação da empresa

O CEO e Presidente da Azul Linhas Aéreas, John Rodgerson, falou sobre a triste semana que a aérea passou, com demissões e fechamento de bases.

John fala que foi uma semana difícil para empresa em recado aos funcionários: “Infelizmente tivemos que tirar muito de nossos colegas, muitos membros da nossa família, que irão nos deixar por um tempo, eu quero que vocês saibam que isso foi necessário, temos que fazer tudo que for necessário para salvar a nossa empresa nestes momentos difíceis.”

O executivo se refere às mais de 500 demissões que ocorreram ontem, e que irão continuar aumentando até o final da primeira quinzena de julho, na medida em que os cortes chegam aos aeroportos de menor presença da companhia.

Alguns aeroportos, inclusive, já tiveram todo seu efetivo desligado: foi o caso dos Aeroportos do Galeão no Rio de Janeiro, Ipatinga e Varginha em Minas Gerais, e São José dos Campos em São Paulo.

Estes aeroportos não serão mais servidos pela Azul em menos de 12 meses, e foram consideradas “bases fechadas” pela companhia, sem perspectiva oficial de volta dos voos.

“Não podíamos continuar carregando o salário deste pessoal, já que não vamos ter trabalho para eles por mais de um ano”, afirmou John no vídeo.

No final o presidente pede um espírito de união para os funcionários que irão continuar na empresa, de maneira a manter a continuidade do negócio e quem sabe permitir a volta dos colegas que saíram agora.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias