Azul pode dispensar recursos do governo e deve ser rentável já em 2021, diz CEO

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Após dar sinais de que conseguiu resolver sozinha os problemas financeiros, a Azul pode dispensar de vez a ajuda do governo e projeta voltar a ser rentável já em 2021.

Em entrevista à Reuters, o CEO da companhia, John Rodgerson, falou que quase todas as dívidas da empresa já estão renegociadas e que a demora na chegada do pacote de ajuda acabou forçando a companhia a fazer o dever de casa.

“Se eu tivesse certeza que as coisas vão continuar evoluindo como estão agora, não precisaríamos do pacote”, disse John em referência ao pacote de empréstimo que o governo pretende oferecer através do BNDES.

John também fez uma crítica às agências de avaliação de risco, que têm rebaixado as notas de todas as companhias aéreas brasileiras. A mais recente foi a Fitch Ratings que rebaixou a IDR da Azul de B- para CCC.

O executivo ainda deu boas projeções para a companhia, afirmando que “voltaremos a ser rentáveis em 2021”, mas sem dar prazos definidos.

No final de maio a companhia tinha projetado junto a seus tripulantes que a demanda deve se recuperar apenas depois de setembro de 2021, dando indícios que o último trimestre do ano que vem da empresa pode voltar a apresentar algum lucro.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias