AZUL e tripulantes chegam a acordo que garante empregos até o final de 2021

O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) divulgou hoje (24) a confirmação de que os tripulantes associados da Azul Linhas Aéreas aprovaram as três propostas de acordo coletivo de trabalho (para comandantes, copilotos e comissários) apresentadas pela companhia para um período de 18 meses, com início no próximo dia 1º de julho, em razão crise causada pela pandemia de COVID-19.

Os novos Acordos Coletivos de Trabalho (ACT) foram aprovados com mais de 85% dos votos a favor da proposta.

Pelo acordo, a empresa e os tripulantes concordam com a criação de um programa de licença não-remunerada com duração de até 18 meses, um programa de demissão voluntária (PDV) e um programa de aposentadoria. Segundo a cláusula quinta do acordo, a empresa aérea esclarece que os tripulantes aderirem ao PDV podem se candidatar a uma recontratação futura e, se isso acontecer, retornarão na mesma senioridade e função quando da sua rescisão.

Além disso, haverá redução compulsória de remuneração fixa e variável para todos os cargos, segundo as características de cada função. Os documentos completos podem ser acessados diretamente no site do SNA, que também tem vários vídeos gravados explicando cada termo do acordo.

Com isso, a Azul e a Gol se alinham ao assegurarem os empregos até o final de 2021, embora com as reduções. Enquanto isso, a Latam segue como a única das grandes brasileiras que optou por seguir no processo de cortes (ao menos, por enquanto).

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias