Azul usará “ajuda” do governo para investir e não para pagar fornecedores

Azul Embraer

Com quase seis meses de atraso, o dinheiro do governo para as companhias aéreas irá finalmente chegar em breve e a Azul já tem planos para ele. Segundo revelou o CEO da companhia, John Rodgerson, em uma live do portal InfoMoney, “a ajuda” do governo via BNDES – Banco Nacional do Desenvolvimento – não será para pagar fornecedores.

No caso dos fornecedores, a empresa restruturou-se, reviu contratos e anunciou que chegou a um acordo com os lessores, que são os donos das aeronaves e que as alugam para a Azul. Isso gerou uma economia de juros em empréstimos de R$3,2 bilhões em k-giro até o ano que vem.

Com tudo acertado com os fornecedores, o dinheiro do BNDES, se e a companhia aceitar, será utilizado para investir na retomada do setor, que ainda é tímida nesse momento de reabertura de alguns mercados.

“O dinheiro, se nós pegarmos, vai ser usado para a retomada. É bem diferente. Em vez de pegar o dinheiro emprestado para pagar fornecedores, podemos pegar o dinheiro para investir”, afirmou John Rodgerson.

O CEO não detalhou o montante e nem em que áreas será utilizado este recurso, mas potencialmente será para reabertura de bases, aumento de frequências e expansão da malha como um todo.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Boeing 737 tem todos os pneus principais estourados no pouso

0
No estranho incidente na tarde da sexta-feira, algo levou todos os pneus do trem de pouso principal do Boeing 737 a estourarem no pouso.