Azul recebe seu primeiro Embraer E195-E2 na pintura padrão da empresa

Foto de Wellington Noronha

Nessa semana, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras recebeu da Embraer seu terceiro E195-E2 da frota. Portando a matrícula brasileira PS-AEB, essa aeronave consiste no primeiro avião do modelo a ostentar a pintura padrão da empresa brasileira. Lembrando que os dois primeiros E2 da Azul têm pinturas comemorativas.

O primeiro E2 chegou à frota da Azul em setembro com prefixo PR-PJN, em homenagem a Pedro Janot – um de seus presidentes – e com uma pintura alusiva aos valores da companhia.

Por sua vez, o segundo, de prefixo PS-AEA, recebeu o tom cor-de-rosa como parte da campanha Outubro Rosa, de prevenção e combate ao câncer de mama.

Vale também recordar que um dos próximos E195-E2, que já está na linha de montagem, será colorido com a bela pintura da Bandeira do Brasil, e vai substituir seu antecessor, da série E1 (PR-AYV).

Comparação com a série E1

Essa nova geração de jatos Embraer cresceu em tamanho. Os brasileiros, que já estavam habituados a ver os E195-E1 da Azul por todo o país, poderão notar essa diferença.

As maiores mudanças ficaram por conta do robusto motor PW1900G, que tem 2 metros de diâmetro, contra 1,4 metro do CF-34, que equipa os aviões da série E1. É uma diferença bastante significativa.

De comprimento, a aeronave é 2,85 metros maior do que a geração anterior que, juntamente com a nova asa de envergadura 6 metros maior, dá um porte mais próximo de um Boeing 737-800 ou Airbus A320 para o jato brasileiro, enquanto sua capacidade da passageiros fica próxima de um Boeing 737-700 ou Airbus A319 por conta da fuselagem mais estreita (4 assentos por fileira contra 6 assentos nos concorrentes).

Aumento nas encomendas

A Azul parece já estar bem satisfeita com o seu primeiro Embraer E195-E2. O novo jato de última geração mal chegou e o CEO da companhia já indiciou que pode comprar mais jatos brasileiros.

Durante a cerimônia do voo de apresentação do primeiro E195-E2 da empresa, John Rodgerson comentou sobre a possibilidade de uma nova encomenda, que estaria avaliada em $1.6 bilhão de dólares (R$6,6 bilhões de reais) baseado no valor de tabela do último contrato entre as empresas.

Esse valor seria referente à possível adição de mais 24 unidades do E195-E2, chegando ao total de 75 jatos Embraer E2 a serem operados pela Azul. A companhia conta atualmente com 57 jatos da geração antiga E1. No auge, a frota de jatos E1 na Azul chegou a 88 unidades, sem contar os cinco jatos E175-E1 oriundos da TRIP que ficaram por um tempo na companhia.

Segundo a Reuters, este novo investimento não está na conta dos R$6 bilhões planejados para a empresa investir no próximo ano, cifra igual ao investido neste ano.

Novas rotas

Com a chegada do E2, a Azul pretende abrir algumas novas rotas com a aeronave. Dentre elas estão os voos para Rio Branco no Acre, provavelmente a partir de Porto Velho e/ou Belo Horizonte.

O Acre é o único estado que não é atendido pela Azul atualmente, e conta com fluxo incerto de voos, que são constantemente cancelados e depois reiniciados pela GOL e LATAM.

Carlos Roman
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Conheça as companhias aéreas que mais transportam passageiros na América Latina

0
Segundo a Associação de Transporte Aéreo da América Latina e do Caribe (ALTA), as companhias da região transportaram 307,3 milhões de passageiros em 2019.