Balão gerou grande incêndio no Aeroporto de Viracopos, ouça áudio entre pilotos e Torre

Imagem: Ricardo Lima / Aeroportos Brasil Viracopos

Mais um caso de problema relacionado à irresponsável soltura de balões foi registrado nesta semana, quando a queda de um destes artefatos causou um grande incêndio na área do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), e afetou as operações.

Um vídeo publicado por Eduardo Cavallini em seu canal no YouTube, contendo os registros de áudio da comunicação entre os pilotos e a controladora de tráfego aéreo da torre de Viracopos, mostra que foi alterado o sentido dos pousos e decolagens por conta da proximidade do fogo com a cabeceira 15 do aeroporto.

Conforme a gravação acima, feita por volta das 20 horas da terça-feira, 13 de julho, o grande incêndio no aeroporto pôde ser visto à distância na cidade de Campinas.

No áudio das comunicações, inicialmente é possível ouvir um piloto conversando com a controladora sobre há quanto tempo estava pegando fogo, ao que ela responde que já se passavam cerca de três horas. Eles também comentam sobre estar ocorrendo dentro da área do aeroporto e próximo à pista.

A região do incêndio, demarcada em vermelho

Depois, após o pouso do voo Azul-4543, a controladora pergunta ao piloto se o incêndio e a fumaça haviam atrapalhado o procedimento de aproximação para o pouso, ao que ele responde que não.

Em seguida, é a vez do piloto do voo Azul-4339, que se aproximava para o pouso, perguntar se era fogo o que ele visualizava próximo à cabeceira 15, ao que a controladora confirma e relata-lhe que o piloto anterior informou que o incêndio não havia atrapalhado no pouso.

Mais à frente na gravação, a próxima comunicação sobre a ocorrência é com o piloto do voo Modern Air-5806, que estava ao lado da cabeceira 15 para sua decolagem. A controladora pede informações sobre a proximidade do fogo, ao que o piloto avisa que, aparentemente, o incêndio estava se aproximando cada vez mais da cabeceira, porém, a condição ainda era visual para quem se aproximava para pouso.

Por fim, durante a aproximação do voo Azul-4520, o piloto questiona à controladora de tráfego qual era o motivo para que o controle de voo estivesse orientando as próximas aeronaves a mudarem a aproximação para a pista oposta de Viracopos, a cabeceira 33.

A controladora então explica a situação do incêndio próximo à cabeceira 15, informa que foi devido à queda de um balão e que os bombeiros estavam com dificuldade em controlar o fogo. Assim sendo, visando à segurança, por precaução foi tomada a decisão de mudança de pista.

Tal situação serve, mais uma vez, para um alerta sobre o risco e os transtornos que a soltura de balões causa à aviação, podendo ser atingido por uma aeronave em voo ou cair nas dependências do aeroporto e causar danos e/ou um afastamento à rotina padrão das operações de pousos e decolagens.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias