Bebê chorão atrapalha o pouso e piloto chinês quase cai com Boeing 747

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Foi a operação inadequada do copiloto da aeronave e a atenção insuficiente do piloto que levaram um Boeing 747 de carga da China Airlines a um pouso duro, concluiu a investigação do Conselho de Segurança nos Transportes de Taiwan.

Divulgando seu relatório final sobre o incidente, o Taiwan Transportation Safety Board (TTSB) também descobriu que o co-piloto, que estava pilotando o avião, operava inadequadamente o cargueiro ao pousar.

O que aconteceu 

Em 13 de dezembro de 2018, o 747-400F, registrado B-18717, operava o voo CI6844 de Hong Kong para Taipei. O voo transcorreu normalmente, bem como a aproximação e a estabilização no curso do localizador e na rampa do glide slope da pista 05L.

No entanto, por algum motivo, a grande aeronave acabou por perder a estabilidade e bater duramente contra o asfalto da pista, vindo a tocá-la 27 metros antes do seu início, como mostra a imagem, destruindo várias luzes da cabeceira. A aterrissagem dura causou danos ao pneus e ao trem de pouso principal. 

As marcas do toque na pista e as luzes quebradas – Foto: TTSB

Segundo reporte do Taipei Times, as investigações revelaram que o co-piloto de 30 anos, que era quem comandava o avião, havia desativado o piloto automático quando a aeronave cruzava a 1.800 pés (600 metros). 

Quando o cargueiro se aproximou da pista 05L, parecia que ele estava mais alto do que a rampa de planeio. O piloto então comandou o nariz da aeronave para baixo, a fim de corrigir o curso, mas, a cerca de 137 pés (50 metros) a aeronave perdeu sustentação e colidiu duramente contra a pista. Após quicar na pista, os pilotos conseguiram controlar a aeronave.

Resultados das investigações 

Os investigadores concluíram que o co-piloto falhou em manter a velocidade e a taxa normal de descida utilizando o controle de inclinação e as manetes de potência. Ele não conseguiu determinar seu erro a tempo, o que levou ao pouso forte antes do ponto de aterrissagem. “O co-piloto não atendeu aos padrões de segurança de pouso para pousar a aeronave manualmente”, afirma o TTSB. 

As investigações também revelaram que, na noite anterior ao incidente, o piloto de 44 anos teve má qualidade do sono por causa de um bebê chorando em sua casa. Isso afetou sua atenção durante o voo, especialmente quando seu colega teve problemas na aproximação final e ele permaneceu impassível e sem reação.

“A aeronave estava numa configuração anormal e, quando perceberam, era tarde demais para retomar a operação ou arremeter”, resultando no pouso duro. 

Além disso, depois que o cargueiro saiu da pista, a tripulação não relatou o incidente à companhia aérea, mas voltou para casa quando suas tarefas foram cumpridas. Tal ação descumpre uma regra básica de segurança de voo e poderia ter colocado outras pessoas em risco.

Por causa disso, o TTSB obrigou a China Airlines a intensificar o treinamento de seus pilotos sobre as capacidades de pouso manual. Ao mesmo tempo, recomendou que a transportadora imponha uma reciclagem de habilidades de pilotos e copilotos com menos experiência. O órgão reitera que, felizmente, a aeronave já estava sobre a pista, caso contrário, a falta de atenção de ambos poderia resultar num acidente de maiores proporções.

Observação: sabemos que existe uma dúvida quanto ao gentílico de Taiwan, em português, ele pode ser taiwanês, taiuanês, formosino, formosano ou simplesmente chinês.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias