Piloto teria causado o bizarro alerta de sequestro de um voo da Air Europa

Na noite de ontem, 6, um grande susto de segurança aconteceu no aeroporto Schiphol de Amsterdã. Por volta das 19h30, um Airbus A330-200 da Air Europa com destino a Madri passou por um susto com a suspeita de que um sequestro estava em curso. Por algum motivo, os pilotos do voo 1094 colocaram o código 7500 no transponder do avião ainda em solo. Esse é o código que os pilotos inserem quando há um sequesteo a bordo.

Como é normal nesses tipos de situações, isso foi levado a sério, e a resposta da polícia foi massiva. O embarque foi parado imediatamente o terminal foi evacuado e muito mais. o próprio aeroporto de Amsterdã postou que os passageiros haviam sido evacuados.

Desde o início, houve algumas perguntas sobre se isso foi um erro ou não. Por exemplo, isso aconteceu durante o processo de embarque. Normalmente, se um avião for sequestrado, isso não acontecerá durante o processo de embarque quando a porta estiver aberta, mas sim quando o avião partir.

Como se vê, a coisa toda foi um erro. A Air Europa se desculpou no Twitter, explicando que se tratava de um alarme falso e que o alarme foi acionado por engano.

Agora está sendo relatado que o motivo pelo qual o piloto “acidentalmente” (ou não) usou o 7500 foi porque ele estava explicando a um “trainee” para que servem os códigos do transponder. Se isso for verdade, acho que é seguro dizer que o “trainee” agora tem um bom entendimento do assunto.

Resumo da ópera

Bom saber que foi apenas um alarme falso e que nada tenha realmente acontecido. Também é interessante ver como o aeroporto respondeu rápido e com toda a força.

Das partes que ainda restam dúvidas, uma refere-se um boato plantado por alguém, dizendo que havia três homens com facas a bordo. Obviamente que isso não passou de uma invenção, mas foi rapidamente reproduzida nas redes sociais e na imprensa local.

No FR24 foi possível ver o código 7500 acionado

Outra questão é o por quê de o piloto ter acionado o código de sequestro para mostrar a um “trainee” na prática e durante um voo comercial internacional.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.