Boeing 727 realiza último voo regular de passageiros

O dia de hoje, 13 de janeiro de 2019, marca o último pouso de um Boeing 727 em operações regulares de passageiros na aviação comercial mundial.

Avião Boeing 727-200 Aseman Airlines Last Flight
Imagem: Egon Johansen / Flickr

O Boeing 727-288/Adv de matrícula EP-ASB operou seu derradeiro voo pela Aseman Airlines, do Irã, cumprindo o trecho de Zahedan para Tehran. Fabricada em março de 1980, foram quase 39 anos de operações da aeronave. Sua estreia foi pela Air France em abril de 1980.

O ano de 2018 marcou uma retirada extremamente acelerada do modelo das operações regulares. Em julho do ano passado ainda existiam 44 unidades dos modelos 727-100 e 727-200 em operação para 23 companhias aéreas. Em dezembro restavam apenas 2 pela companhia iraniana, que os tirou de serviço neste começo de 2019.

O clássico 727 foi o único trijato da Boeing a ser produzido comercialmente, de 1960 até 1984. O primeiro voo do modelo -100 ocorreu em fevereiro de 1963, entrando em serviço um ano depois pela Eastern Air Lines. A versão alongada -200 voou em julho de 1967 e entrou em serviço pela Northeast Airlines em dezembro do mesmo ano.

>>> Publicidade: aprenda a criar seu próprio negócio online para ter rendimentos extras divulgando cursos digitais! Comece hoje mesmo!

Ainda poderia haver alguma sobrevida às operações comerciais de passageiros do Boeing 727 se o Lloyd Aereo Boliviano tivesse conseguido levar adiante os planos de retomar operações em meados de 2018. Mas os entraves de se colocar uma companhia falida de volta aos céus foram maiores do que a vontade dos responsáveis pela tentativa.

Agora, a principal forma de ver esse ícone da aviação ainda voando fica por conta da aviação de carga, além de algumas operadoras privadas ou governamentais que ainda o utilizam.

Aqui mesmo no Brasil ainda existem algumas operações de carga, principalmente noturnas, em alguns aeroportos. Mas o tempo vai ficando cada vez mais escasso para o modelo, cujas operações tornam-se cada vez mais caras frente à idade avançada das unidades ainda operacionais.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.