Boeing 737 arrasta-se pela pista após falha de trem de pouso

Um Boeing 737 arrastou-se pela pista de um aeroporto na Somália após uma falha de trem de pouso em sua chegada nesta quarta-feira, 2 de dezembro, mas o mais grave da situação não foi o acidente da aeronave em si.

Air Djibouti Boeing 737-500 Acidente Trem de Pouso Garowe Somália
Imagem: AvHerald

O jato envolvido foi o Boeing 737-500 registrado sob a matrícula EY-560, operado pela Air Djibouti, quando estava realizando o voo de número IV-206 de Hargeisa para Garowe, ambas na Somália, com 39 passageiros e 5 tripulantes.

O B737 pousou na pista 04 do aeroporto de Garowe por volta das 09:30 locais (06:30Z), mas, segundo informações do The Aviation Herald, sofreu o colapso do trem de pouso principal direito, felizmente já em baixa velocidade, arrastando-se por alguns instantes sobre seu motor nº 2.

A aeronave desviou-se para a direita, mas parou ainda dentro do limite do pavimento da pista. Não houve feridos, e os passageiros desembarcaram/evacuaram o jato na pista e foram conduzidos ao terminal.

Air Djibouti Boeing 737-500 Acidente Trem de Pouso Garowe Somália
Imagem: AvHerald

Apesar de tudo ter terminado bem, a situação teria sido extremamente crítica em função de uma grave deficiência caso um incêndio eclodisse devido ao atrito do motor com a pista.

Ainda segundo o AvHerald, a mídia local reporta que o aeroporto está sem operar o caminhão de bombeiros há cerca de 2 meses devido ao mesmo estar sem uma roda, portanto, ele não pôde responder ao acidente do Boeing 737, embora testemunhas tenham afirmado que fumaça foi vista saindo da aeronave perto do trem de pouso colapsado.

O caminhão sem roda no aeroporto – Imagem: AvHerald

A situação mais uma vez demonstra a precariedade da aviação de diversos países da África, uma vez que, em locais onde existe foco na segurança das operações aéreas, um aeroporto sem condição de atender a uma emergência seria proibido de operar um voo como este.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias