Boeing 737 MAX faz quatro longos voos de teste com o novo software a pleno

Quando o Boeing 737 MAX 7 voou para o aeroporto de Kansas City na segunda-feira, 10 de fevereiro, ele definitivamente chamou a atenção dos locais, afinal de contas, não tem sido comum ver uma aeronave desse modelo por aí.

Foto de Anna Zvereva via Wikimedia Commons

Mas esse não foi um evento isolado. Na última semana, a Boeing retomou os testes em voo com seu protótipo do modelo MAX 7, registrado como N7201S, após cerca de um mês parado. Desde o dia 7 de fevereiro, ele tem feito longas viagens circulares, partindo e voltando a Seattle, mas com diferentes roteiros pelos Estados Unidos.

Apesar de ainda não serem voos de certificação, a Boeing está lidando com eles com bastante otimismo, já que estão sendo testadas diferentes condições de voo, já com o novo software funcionando a pleno, ou seja, com todas as falhas corrigidas, segundo disse a CNBC, dos Estados Unidos.

O mais recente voo de testes aconteceu no dia 10 de fevereiro – Imagem FR24

Em um comunicado à imprensa explicando os voos, a Boeing disse: “Esses voos de teste não comerciais, com uma pequena equipe de teste a bordo, exercerão voos de curta e longa distância, buscando situações meteorológicas e de altitude que ajudarão a satisfazer condições específicas de teste para o software atualizado. Estes não são voos de certificação.”

Os voos são a mais recente indicação de que a Boeing pode estar chegando perto de um voo de recertificação, um obstáculo crítico para convencer a FAA e outros reguladores a liberar os voos do MAX nas linhas aéreas.

Desde a parada total do modelo, em março de 2019, os engenheiros da Boeing têm trabalhado nos ajustes do software MCAS e no programa de treinamento para que as equipes de voo estejam preparadas para pilotar o 737 MAX. Nesse momento, embora as modificações no software estejam sendo testadas pela Boeing, as alterações nos programas de treinamento de pilotos ainda não foram finalizadas e aprovadas pelos reguladores.

O administrador da FAA Steve Dickson disse no Singapore Airshow dessa semana, que a agência ainda não tem um prazo para recertificar a aeronave, ao invés disso, ele recomenda que se foque no processo e não em um prazo final.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.