Boeing 737 MAX misterioso tem sido visto no radar realizando voos domésticos na China

Muitas perguntas têm surgido nos últimos dias, sobre um certo Boeing 737 MAX 8 solitário que poderia estar voando pela China, realizando voos domésticos da empresa local China Southern.

No entanto, e curiosamente, a China foi o primeiro país a ordenar que suas empresas aéreas parassem de voar com o Boeing 737 MAX. A ordem do órgão regulador chinês foi dada poucos dias após o acidente do voo da Ethiopian Airlines, a segunda fatalidade envolvendo o MAX.

Poucos meses após a parada dos aviões no país, as maiores empresas chinesas, incluindo a China Southern, já pediam compensações financeiras à Boeing como resultado da parada dos aviões. Além disso, o seu retorno aos céus chineses tem tudo para ser mais duro do que no resto do mundo, já que o modelo terá que ser totalmente re-certificado na China e o processo para isso é reconhecidamente moroso.

Então, o que dizer desse 737 MAX solitário?

A China Southern tem uma frota de 45 Boeing 737 MAX 8, dos quais 24 já foram entregues. Segundo o Planespotters.net, todos os vinte e quatro estão com status de “stored”, ou seja, “armazenado”, e não deveriam realizar voos.

Mas há algo estranho com o avião de matrícula B-1205. Isso porque a aeronave tem sido avistada no FlightRadar24, realizando voos domésticos na China Continental, como mostra o exemplo da imagem abaixo.

Últimos voos do 737 MAX 9 misterioso

Matando a charada

Durante uma vasta pesquisa pela internet, não encontramos nenhuma imagem recente do B-1025 que pudesse comprovar que ele realmente está voando. Quando buscamos no Google Flights pelos voos que ele tem feito, segundo registrado no histórico do FlightRadar24, encontramos que a China Southern não possui nenhum deles mas a busca sempre nos retornava voos non-stop de uma tal Air Guilin.

A Air Guilin é uma parceria do governo chinês com o grupo Hainan e que realiza voos diretos entre cidades secundárias na porção central da China Continental. Não por coincidência, todos os voos que o FlightRadar24 – e outros rastreadores de voos também, diga-se de passagem – registrou para o Boeing 737 MAX 8 da China Southern possuem o código “GT”, que é exatamente o código da Air Guilin.

Histórico do voo GT1004 da Air Guilin, com A320 alocado para voos atuais e futuros

Fizemos uma busca pelos voos no site da Air Guilin e encontramos quase todos eles, mas um detalhe sempre nos chamou a atenção: os voos eram todos operados por Airbus A320 e não por Boeing 737. Para finalizar a investigação, buscamos pelo histórico de aeronaves que operaram os voos da Air Guilin no último mês e vimos que apenas em poucas ocasiões, o sistema registra que um 737 fez o voo, nas outras 90% das vezes, é o A320 quem está marcado.

Resolvido

Todos esperamos que essa crise do MAX se resolva, pois ninguém está ganhando nada com ela, exceto a Airbus. Mas ainda é cedo para vermos um Boeing 737 MAX em voo em qualquer lugar do mundo, e mais cedo ainda na China, que deve ser a última a liberar o modelo, pelo que os chineses andaram dizendo sobre uma tal re-certificação do MAX.

Assim sendo, concluímos que os voos são reais e realmente estão acontecendo, mas eles estão sendo operados por um A320 da Air Guilin, como esperado. Por alguma razão, os rastreadores de voo o capturam como sendo uma outra aeronave, pertencente à China Southern.

Não é a primeira vez que isso acontece, mas é um erro de cadastro da base de dados que alimenta os rastreadores de voos. Então, se você vir esse MAX pelos céus chineses, agora já sabe que é apenas um “sósia” virtual.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.