Boeing 737 acaba todo retorcido após toque muito intenso ao pousar

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Um Boeing 737 acabou tendo sua fuselagem bastante danificada após sofrer um toque muito mais intenso do que o adequado na pista, o chamado ‘hard landing’ ou “pouso duro”, em termos aeronáuticos.

O acidente aconteceu na data de ontem, 19 de janeiro, com o Boeing 737-400F (‘freighter’, ou cargueiro) registrado sob a matrícula G-JMCY, operado pela companhia aérea inglesa West Atlantic, segundo informações do The Aviation Herald.

O jato cargueiro estava realizando o voo de número NPT-05L, de East Midlands para Exeter, ambas na Inglaterra, com apenas os 2 pilotos a bordo, e pousava na pista 26 do destino às 02:34 locais (02:34Z) quando sofreu o ‘hard landing’.

O momento da chegada do Boeing 737 a Exeter – Imagem: FlightRadar24

A aeronave concluiu seu pouso sem mais incidentes e taxiou até o pátio, porém, na inspeção pós-voo foram encontrados vincos e danos bastante sérios ao redor da fuselagem, conforme se nota nas imagens.

As deformações da estrutura da aeronave foram tão significativas que o Royal Mail (o equivalente aos Correios no Reino Unido) não conseguiu descarregar a correspondência através do método tradicional de deslizar a carga sobre o piso rolante da fuselagem.

Segundo informações meteorológicas (METAR) de horário próximo ao do pouso, havia vento de 10 nós (18,5 km/h) desalinhado em cerca de 30 graus com a pista, visibilidade em torno de 9 km no solo, chuva leve e as nuvens mais baixas estavam esparsas e a 1200 pés (365 metros) de altura:

METAR EGTE 190220Z 23010KT 9000 -RA SCT012 BKN040 12/10 Q1009=

Pousos Duros

O pouso duro é a situação em que a aeronave apresenta uma razão de descida muito alta ao tocar o solo, ou seja, a perda de altura, que deveria ser pequena para resultar em aproximação calma das rodas com a pista, acontece de forma muito rápida, causando praticamente uma “pancada” ao invés de um toque.

Com isso, os esforços transmitidos pelas pernas do trem de pouso à estrutura do avião são muito maiores do que aqueles para os quais a resistência das peças foi projetada, levando à deformação da fuselagem, asa ou qualquer outra parte afetada pela carga excessiva.

O pouso duro pode ser causado por diferentes fatores, que vão, por exemplo, desde um erro do piloto no controle da razão de descida, até a incidência de adversidades meteorológicas que alterem o comportamento da aeronave em um momento em que não haja mais tempo suficiente para o piloto fazer uma correção.

Portanto, apenas com as informações disponíveis até agora não há como tirar conclusões sobre possíveis causas do acidente, sendo necessário aguardar pela investigação que possivelmente será aberta em função da gravidade da ocorrência.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias