Início Empresas Aéreas Boeing 777-300ER tem os dias contados em mais uma empresa aérea

Boeing 777-300ER tem os dias contados em mais uma empresa aérea

Boeing 777-300ER da Air New Zealand

A Air New Zealand, principal linha aérea da Nova Zelândia e famosa pela bonita pintura que apresenta em suas aeronaves, está programando a desativação de seus Boeings 777-300ER.

A frota de Boeing 777 será substituída pelos altamente econômicos Boeings 787 Dreamliner, que apresentam consumo de combustível muito mais baixo e serão usados principalmente nas rotas para a Ásia e América do Norte.

Segundo dados do Planespotters, a companhia aérea neozelandesa possui atualmente em sua frota 7 Boeings 777-300ER com idade média de 9,4 anos e 14 Boeings 787-9 com idade média de 2,3 anos.

Até 2025, a empresa irá substituir dois dos “triplo 7” por dois dos oito Boeings 787-10 encomendados, sendo que o restante será substituído à medida que outros Dreamliners forem chegando. Richard Thomson, diretor financeiro da companhia, disse: “agora estamos prontos para ter uma frota apenas de 787 para nossos negócios de longo curso a partir de 2027.”

Boeing 787-9 Air New Zealand – Imagem: Masakatsu Ukon / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Conforme relata o Executive Traveller, o diretor financeiro revelou os planos de substituição das aeronaves durante um briefing após a divulgação dos resultados do ano fiscal 2021 da empresa, que assim como outras, sofreu grande impacto face à pandemia da COVID-19. A companhia registrou uma perda de $ 440 milhões no ano.

Com as rotas internacionais, a companhia chega a gerar cerca de dois terços de sua receita, no entanto, esse número pode aumentar significativamente com a chegada dos Boeing 787.

“Essas aeronaves não apenas representam o melhor em tecnologia disponível atualmente, mas também trarão benefícios significativos de simplicidade em todas as áreas de nossas operações, tripulação, engenharia, manutenção e operações de voos”, disse o diretor financeiro.

Os novos Boeings 787-10 que a companhia espera receber terão uma classe executiva totalmente renovada, com uma seção Business Plus nas primeira fileiras, além de mais espaço para as pernas, áreas privativas e novos assentos. Os já ativos Boeings 787-9 também terão seus interiores reformados, porém, somente a partir de 2023.

“Os interiores dessa frota começarão a exigir uma atualização em algum ponto além do ano fiscal de 2023. Quando soubermos mais sobre o momento e a quantidade desse programa de trabalho, comunicaremos isso.”

Leia mais:

Sair da versão mobile