Boeing 777F que pegou fogo pode gerar maior indenização da história da aviação

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

O Boeing 777F da Ethiopian que pegou fogo na China no dia 22 de julho pode bater um recorde: a maior indenização da história dos seguros de aviação.

Segundo o portal especializado em seguros Insurance Insider, o seguro de casco (fuselagem) da aeronave é de $187 milhões de dólares, que somados com os seguros dos motores, pode chegar na cifra de $200 milhões.

O jato pegou fogo quando era carregado na China, em um voo de carga médica que seguiria para São Paulo. A causa do acidente ainda não foi revelada, mas o fogo se iniciou na carga da aeronave.

Imagens mostram que a fuselagem ficou bastante danificada, principalmente na parte traseira, o que pode resultar em perda total e acionamento da indenização do seguro.

Apesar de, em muitos casos como este da Ethiopian, os danos até serem recuperáveis, geralmente não existem peças para substituir as regiões danificadas do avião (não se fazem seções extras de fuselagem, por exemplo), além do que toda a engenharia para recuperar o avião seria tão cara que não valeria a pena, sendo mais barato e prático acionar o seguro.

Ainda segundo o portal, os recordes anteriores teriam sido dos acidentes do 737 MAX, que não tiveram valores das indenizações do seguro revelados, mas que foram menores, individualmente, que este caso do 777, por ser esse um avião bem maior e mais caro.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias