Boeing 777 da LATAM vai ao resgate de passageiros em Salvador e acaba no Rio

Após fortes chuvas durante o dia de ontem em Salvador, vários voos foram cancelados e a LATAM enviou um Boeing 777 para resgatar passageiros, porém a natureza foi traiçoeira novamente com eles.

Boeing 777 LATAM
Boeing 777 da LATAM

O dia de ontem (26) foi de fortes chuvas na capital baiana, que ficou alagada e sofreu com o forte temporal. O aeroporto ficou fechado por um bom tempo devido a visibilidade reduzida, principalmente na pista 10/28 que é a maior e principal do aeroporto.

A chuva foi diminuindo ao longo do dia e permitiria a reabertura completa do aeroporto, se não fosse por um motivo: o balizamento (luzes) da pista 10/28 teve um curto-circuito causado pela água da chuva e não funcionou durante o restante do dia.

Com isto o aeroporto ficou novamente limitado a utilizar a menor pista, a 17/35, que não suporta receber aviões como um Airbus A320 ou Boeing 737-800 com seus 1.518 metros de comprimento.

Toda essa paralisia gerou um caos no aeroporto baiano, que também teve seus acessos viários comprometidos por alagamentos. Ao todo foram 28 chegadas canceladas ou que o avião alternou para outros aeroportos.

Voos internacionais também foram afetados: o Airbus A330-300 da Air Europa procedente de Madri alternou Recife, já o A330-900neo da TAP nas cores da Star Alliance foi desviado para Fortaleza, em decorrência do pátio já estar lotado na capital pernambucana exatamente pelos alternados de Salvador.

Passageiros presos

A LATAM Brasil foi uma das mais afetadas, com 13 voos alternados ou cancelados ao longo do dia de ontem na capital baiana, além de outra dezena de voos com atrasos superiores a uma hora, causando perda de conexão para diversos clientes.

Com isto vários passageiros acabaram por ficar em Salvador, esperando o aeroporto reabrir. Para minimizar os impactos de seus clientes, a LATAM decidiu por pegar um Boeing 777 e colocar no voo de São Paulo-Guarulhos para a capitala baiana, visando exatamente conectar Salvador com seu maior hub de operações.

Esta medida é comum em diversas empresas estrangeiras e nacionais, já que desafoga uma base da companhia. Vale lembrar que o 777 da LATAM leva até 414 passageiros e é a aeronave ideal para estes voos de resgate.

Chuva traiçoeira

E assim foi feito, o voo LA9007 decolou de São Paulo às 10h50 da manhã de hoje, chegando em Salvador 1h e 50 minutos depois. Três horas depois decolou de volta rumo à São Paulo como LA9008, porém São Pedro decidiu não facilitar para os passageiros.

Quando o Boeing 777 de matrícula PT-MUH já estava sobrevoando o estado de São Paulo, sobre a cidade de São José dos Campos, foi informado que as condições meteorológicas em Guarulhos estavam ruins, com tempestades, chuva e visibilidade reduzida.

O avião decidiu por esperar sobre a cidade do Vale do Paraíba, fez cinco voltas (chamada de holding / órbita de espera) sobre o bairro Urbanova e mais duas sobre a cidade vizinha de Jacareí.

Após a segunda volta em Jacareí e sem melhoria das condições do tempo em Guarulhos, a tripulação decidiu por alternar o voo para o Rio de Janeiro, já que tinha atingido o tempo máximo em espera.

A grosso modo este tempo máximo é calculado pelo combustível restante na aeronave juntamente com o combustível necessário para ir até o aeroporto de alternativa (RIOgaleão) e mais uma reserva adicional de segurança.

Sendo assim, os passageiros que estavam desde ontem esperando para ir para São Paulo pousaram no Rio de Janeiro às 18h48. Você pode acompanhar a trajetória deste voo clicando aqui.

Foram diversos aviões que acompanharam o PT-MUH, inclusive o Stormtrooper PT-MUA, além dos Boeings 777 da Alitalia e Air France.

Até o momento do fechamento desta reportagem, os quatro Triple Seven citados acima ainda estão no solo do Aeroporto RIOgaleão.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos