Boeing 777 precisa ser rebocado após não conseguir virar na pista, de novo

Um Boeing 777-300, o maior modelo de avião de dois motores em operação comercial no mundo, precisou de apoio de solo para prosseguir com sua operação depois que os pilotos não conseguiram virá-lo ao final da pista no pouso.

A aeronave envolvida, conforme histórico de movimentação captado pelo FlightRadar24, foi o Boeing 777-300 registrado sob a matrícula AP-BHV, operado pela companhia aérea paquistanesa PIA – Pakistan International Airlines.

O Boeing 777-300 envolvido – Imagem: Alec Wilson / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

O grande jato bimotor estava realizando o voo PK-9760, de Jeddah, na Arábia Saudita, para Lahore, no Paquistão, na madrugada da última segunda-feira, dia 18 de outubro, e pousou na pista secundária 36L de Lahore, diminuindo sua velocidade com segurança.

Devido à necessidade de fazer o retorno pela própria pista para taxiar até o pátio, o chamado “backtrack”, os pilotos levaram a aeronave até o final da pista para utilizar a área de manobra, o chamado “turn pad”.

Porém, ao acessar esta área de realização de curvas e começar a fazer o procedimento, os pilotos pararam o Boeing 777 na metade do caminho. A aeronave permaneceu nessa posição por cerca de 55 minutos até o FlightRadar24 voltar a registrar movimentações.

O Boeing 777 parado no “turn pad” – Imagem: FlightRadar24

Segundo informações do The Aviation Herald, o jato precisou ser empurrado um pouco para trás por um veículo de reboque para que houvesse espaço para finalizar a curva. O veículo completou todo o processo e então levou a aeronave até o pátio.

Como não houve saída dos pneus para fora da área pavimentada, a aeronave pôde realizar seu próximo voo normalmente, apenas com o atraso relativo ao tempo perdido no processo de remoção.

O Aeroporto de Lahore tem duas pistas, e a principal é muito maior e mais bem estruturada para um avião como o Boeing 777-300, porém, está fechada devido a grandes intervenções de reconstrução. De acordo com informativos (NOTAMs) para Lahore, as dimensões do “turn pad” exigem cautela durante a execução das curvas.

Por sinal, esta não é a primeira vez que um Boeing 777 fica impossibilitado de completar a curva neste mesmo local. No ano passado, também em outubro, outro jato precisou de auxílio. Relembre os detalhes clicando aqui ou no título logo abaixo:

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Veja o que fizeram os pilotos no incidente em que o...

0
Novas informações trazidas pelo The Aviation Herald revelam que a companhia aérea divulgou mais detalhes sobre a ocorrência.