Boeing 777X, maior avião bimotor do mundo, decolou hoje pela primeira vez

Exatamente às 10h05 da manhã deste sábado , 25 de janeiro de 2020, decolou pela primeira vez o maior avião bimotor já construído: o Boeing 777X. Com esse evento memorável, a fabricante americana dá o pontapé inicial no programa de testes em voo de uma revolucionária aeronave.

777X
Primeira decolagem – captura de tela da transmissão da Boeing

O pré-voo e a decolagem do Paine Field, em Everett, foram transmitidos pela Boeing ao vivo através de sua página na internet, junto com um Flight Tracker bastante interessante, mostrando a cada momento a posição da aeronave. O evento foi acompanhado ao vivo por mais de 50 mil pessoas, ansiosas por uma estreia da fabricante americana depois de tanto tempo. O avião também pode ser acompanhado pelo FlightRadar24, sob o callsign BOEING 001.

A decolagem foi rumo ao norte, para sobrevoo sobre áreas desabitadas, o que é praxe em voos assim. A ideia com o voo é medir os parâmetros do centro de gravidade da nova aeronave, confrontando os gráficos do voo de teste contra o projeto original, no que é chamado de “abertura de envelope de voo”.

777X

Quais foram as principais entregas do projeto 777X até agora?

  • 2011 – Boeing decide responder a atualizações no projeto Airbus A350 com três modelos novos através do programa 777X. O processo de design é estimado para 2015, com primeiro voo em 2019 e entregas a partir de 2019.
  • Março de 2013 – O motor General Electric GE9X é escolhido para equipar o modelo.
  • Setembro de 2013 – A Lufthansa coloca a primeira encomenda do modelo, para 34 unidades, tornando-se a cliente de lançamento. Mais tarde, a encomenda foi baixada para 20 aeronaves.
777X
Centenas de pessoas acompanharam o evento ao vivo
  • Novembro de 2013 – O “X” do nome 777X dá lugar às versões 777-8, -9 e -10. Durante o Dubai Airshow, a Boeing fecha encomendas para 259 aeronaves a um montante de US$ 95 bilhões.
  • Agosto de 2015 – O design final do 777-9 é aprovado.
  • Setembro de 2017 – Uma primeira asa é construída para servir de modelo para testes.
  • Novembro de 2017 – 90% dos desenhos de engenharia estão prontos.
  • Março de 2018 – Começa a montagem do primeiro 777-9.
Destaque para as asas dobráveis
  • Maio de 2018 – FAA aprova a asa feita com materiais compósitos.
  • Novembro de 2018 – Fuselagem é concluída e unida às asas. Os sistemas elétricos são instalados pela primeira vez.
  • Janeiro de 2019 – Os motores GE9X são instalados
  • Fevereiro de 2019 – O primeiro 777-9 da Lufthansa está pronto para ser usado em testes.
  • Maio de 2019 – Primeiro acionamento de motores. Um problema com o compressor foi encontrado e os testes de táxi são interrompidos.
Pronto para decolagem
  • Julho de 2019 – Devido aos problemas com o motor GE9X, o primeiro voo é postergado para 2020.
  • Setembro de 2019 – Sob fiscalização da FAA, um teste de pressurização é realizado, simulando situações extremas causando um rompimento da fuselagem. O problema foi reportado corrigido pela Boeing mais tarde.
  • Outubro de 2019 – Os motores GE9X retornam da manutenção na GE e são instalados na aeronave no mês seguinte.
  • Dezembro de 2019 – Após testes estáticos, a aeronave está pronta para o voo inaugural.
  • 25 de Janeiro de 2020 – O Boeing 777X decola pela primeira vez na história às 10h05 na hora PST (15h05 de Brasília)
777X
A decolagem de 25 de janeiro de 2020

Características distintas

Com a aeronave, a Boeing revelou três características principais que fazem com que este avião se destaque dos demais do segmento: os motores gigantes GE9x, as asas dobráveis e a nova fuselagem. Quem assistiu ao voo inaugural reparou em todas essas características marcantes.

Os dois grandes motores General Electric GE9X geram o empuxo necessário para que a aeronave de de 76,72 metros e de peso máximo de decolagem de 355 toneladas saia do chão e alcance até 14 mil quilômetros com uma economia de combustível de 10%, inclusive comparada a aeronaves modernas concorrentes (segundo estudos da Boeing). 

Finalmente, a fuselagem. De todas as inovações, talvez essa seja a mais interessante. Ela é mais longa do que o 777-300ER, tem a mesma largura por fora, mas possui mais espaço interno, pois a Boeing a re-esculpiu completamente.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias