Boeing 787 abriu mais de 900 rotas inéditas no mundo em apenas oito anos

Parece que o codinome Dreamliner (ou avião de linha aérea dos sonhos em inglês) foi bem adequado para o Boeing 787: a economia da aeronave gerou a abertura de quase mil novas rotas!

Os dados revelados por Henk Ombelet da consultoria especializada em Data Analytics para aviação Cirium mostram que a abertura de novas rotas é algo íncrivel no 787: em oito anos de operação foram 920 rotas inéditas inauguradas pelo avião da Boeing.

Isso significa 22% das rotas operadas (ou que foram operadas) pelo Dreamliner, a titúlo de comparação o seu concorrente direto, o Airbus A350XWB tem uma taxa de 9% das rotas inauguradas do total de operadas.

O índice foi alavancado pelas low-cost de longo curso como a Norwegian Airline e a Scoot, subsidiária da Singapore Airlines. Outra aérea que impulsionou esse número de novas rotas foi a alemã TUI, mas que faz essas rotas de maneira mais sazonal, para atender seu público, formado por turistas e pacotes com hotéis e agências de viagens.

A explosão de novas rotas também confirmou a aposta da Boeing uma década atrás, de que a demanda pelo transporte aéreo seria direcionada por conexões ponto a ponto (voos diretos). Naquele momento, a sua rival Airbus investia US$ 30 bilhões no desenvolvimento do superjumbo A380, apostando nas conexões por hubs, em que os passageiros seguiriam para seus destinos a partir dos maiores aeroportos.

Algumas rotas interessantes abertas pelo 787 ao redor do mundo:

1. Chengdu (China) – Addis Ababa (Etiópia): voar para as principais cidades chinesas era comum, mas para Chengdu, no interior da China era foi uma das novidades trazidas pelo 787. Hoje voam na rota a Hainan e a Ethiopian;

2. Perth (Austrália) – Londres: com 9.000 milhas de distância, foi a primeira conexão entre os dois continentes. O voo é feito pela Qantas;

3. Londres – New Orleans (EUA): da mesma forma que no primeiro exemplo, haviam muitos voos internacionais para as principais cidades dos EUA, mas quando começou-se a olhar para cidades secundárias, New Orleans despontou. Hoje a BA realiza essa rota;

4. Fort Lauderdale – Barcelona e 5. Oakland – Copenhagen: ambas operadas pela Norwegian, se aproveitando do fato de ser mais barato operar em aeroportos secundários, ao invés de operar em Miami e San Francisco e pagar muito mais, com isso ela mantém seu espírito low-cost

No Brasil o 787 é operado pela Latam, American Airlines, Air Canada, Air Europa, Air China, British Airways, KLM, Ethiopian, Royal Air Maroc, Norwegian e futuramente com a Virgin Atlantic.

Com informações da Cirium

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos