Boeing 787 da Qantas decola para inédito voo comercial que passará próximo ao Polo Sul

Decolou nesta terça-feira (5) o voo comercial (com passageiros pagantes) mais longo da história da empresa aérea australiana Qantas, companhia acostumada aos voos de longa distância e que planeja, para o futuro, viagens regulares com vinte horas de duração. No entanto, a operação de hoje tem uma finalidade específica, que é a repatriação de australianos da América do Sul ao seu país natal.

A rota escolhida para a operação liga a capital argentina, Buenos Aires, a Darwin, num Boeing 787-9, que tem capacidade para 236 passageiros. A quantidade de pessoas a bordo não foi revelada. A rota é inédita e o voo cruzará o Polo Sul, sendo um dos poucos serviços de passageiros na história a realizar tal façanha.

A distância entre as duas cidades é de 14.683 quilômetros, o que representa um recorde para a companhia aérea australiana em termos de voos comerciais. Atualmente, sua rota mais longa é Perth – Londres, que tem pouco mais de 14.000 km.

Imagem: RadarBox

Voos ultralongos

Além desse voo pontual, a Qantas pretende realizar voos ultralongos de maneira regular. Para isso, criou o Projeto Sunrise, iniciativa para realizar voos diretos sem escalas entre Sydney e Londres ou Nova Iorque, em viagens que durarão cerca de 20 horas. Quando estiverem operando, esses baterão o recorde do voo de hoje.

No entanto, tais voos requererão uma aeronave especial, e para isso a transportadora australiana sinalizou que deve encomendas alguns A350 modificados.

Em outubro de 2019, a empresa operou um voo entre Nova York e Sydney pela primeira vez, um evento histórico para a aviação comercial. Pela primeira vez, as duas cidades foram conectadas sem parar. O voo de teste (não-comercial e sem passageiros pagantes) durou 19 horas e 16 minutos, percorrendo pouco mais de 16 mil quilômetros.

Além disso, em novembro do mesmo ano, a companhia aérea operou um voo especial entre Londres e Sydney de 17.800 quilômetros.

A operação entre Buenos Aires e Darwin permanecerá como um evento importante, devido à distância, ao tempo de voo e à conexão pela primeira e única vez entre as cidades da Argentina e da Austrália.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avião Embraer ERJ-145 CommutAir United Express

Jatos Embraer ERJ-145 da CommutAir ganham uma renovação total em seu...

0
A empresa aérea regional americana CommutAir anunciou na segunda-feira (6) o lançamento de um esforço para atualizar e substituir