Boeing acusada de abrir mão da segurança ao manter seu presidente até os 70 anos

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Boeing 737 MAX 7
Boeing 737 MAX-7 – Imagem: Steve Lynes / CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

A reação foi rápida à ação da Boeing da última terça-feira, 20 de abril, quando seu Conselho de Administração anunciou que aumentou a idade de aposentadoria obrigatória para executivos, passando de 64 para 70 anos. O atual presidente e CEO, David Calhoun, fez 64 anos esta semana.

Segundo representante das famílias das vítimas dos acidentes do Boeing 737 MAX, a ação da diretoria da Boeing para reter o CEO “perpetua a cultura de lucros sobre a segurança”.

Dave se tornou CEO em janeiro de 2020, na metade do processo de suspensão de voos de quase dois anos do 737 MAX após os dois acidentes que tiraram a vida de 346 pessoas na Etiópia e na Indonésia.

Michael Stumo, pai de Samya Rose Stumo, que morreu no acidente, disse que a Boeing precisa buscar uma nova liderança com experiência comprovada e comprometimento com excelente engenharia, fabricação impecável e reinvestimento no negócio por longo prazo.

Segundo Michael, Dave era o vice-presidente e membro do conselho da GE “quando seu curtoprazismo e corte de custos levaram ao seu declínio final”, e em seus 12 anos na Boeing, ele “continuou o padrão enquanto a empresa demitia engenheiros, terceirizava o trabalho de fornecedores críticos e apertava os fornecedores.”

David Calhoun está no conselho da Boeing desde 2009, portanto, durante o processo de desenvolvimento do 737 MAX.

“Calhoun votou para gastar os lucros para recomprar ações e aumentar o preço das ações para enriquecimento de executivos. Ele não votou para reinvestir esses lucros em projetos mais seguros, pessoal de qualidade e excelência de fabricação”, acusa Michael.

Robert A. Clifford, fundador e sócio sênior da Clifford Law Offices em Chicago e principal conselheiro nos processos da queda do avião da Boeing na Etiópia há dois anos, disse: “O registro público mostra que o Sr. Calhoun estava profundamente envolvido na cultura de maximização da Boeing lucros acima da segurança. Seu emprego contínuo na Boeing prepara o terreno para perpetuar essa cultura.”

A Boeing, ao anunciar a decisão de mudança da idade, afirmou o contrário. Segundo o presidente do conselho da fabricante, Larry Kellner, a dedicação de Dave “em renovar o compromisso da empresa com a segurança, qualidade e transparência” tem sido fundamental para construir a confiança do regulador e do cliente enquanto a Boeing retorna o 737 MAX ao serviço.

Informações da Clifford Law Offices

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Alaska Airlines encomenda nove novas aeronaves Embraer E175

0
A Embraer anunciou a venda de nove novos jatos E175 para o Grupo Alaska Air e sua subsidiária Horizon Air. As aeronaves E175 voarão