Boeing admite falhas no simulador de voo do 737 Max

Imagem: Divulgação / Boeing.

A Boeing chegou à conclusão de que o simulador de voo do Boeing 737 Max era incapaz de replicar todas as condições de um voo real da aeronave, incluindo as que resultaram nos acidentes com aeronaves da Ethiopian e Lion Air, vitimando 346 pessoas.

Conforme revela a reportagem da Al Jazeera, a empresa não informa quando ficou ciente do problema, entretanto, no último passado (18), a empresa se pronunciou oficialmente em um comunicado ao mercado informando que “fez as correções no simulador do Boeing 737 Max e proveu informações adicionais aos operadores do equipamento para assegurar que a simulação seria fiel em todas as condições de voo”.

Essa é a primeira vez que a Boeing admite um problema no simulador de voo do Max, cujo software do sistema anti-stall tem sido culpado como causador da queda da aeronaves da Ethiopian.

Na prática, isso significa que as aeronaves permanecerão sem voar por algum tempo ainda, até que as tripulações sejam novamente treinadas considerando o software atualizado. A Ethiopian já anunciou que talvez devolverá todos os seus Max.

Informações da Al Jazeera.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.