Boeing afirma que tanques do novo jato da Airbus são um risco à segurança dos passageiros

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Airbus A321XLR
Airbus A321XLR

A Boeing fez duras críticas à sua maior concorrente, a Airbus, sobre seu mais recente projeto de corredor único, o Airbus A321XLR, alegando, segundo relata a Reuters, que este possui um tipo de tanque de combustível que pode levar a maiores riscos aos passageiros em caso de incêndio.

A intervenção da gigante Boeing não é uma atitude sem fundamentos, uma vez que existe um mecanismo global que regularmente permite aos fabricantes alertarem as autoridades sempre que quebra de regras e problemas de segurança são verificados.

Embora muitos jatos já fabricados, incluindo até mesmo aeronaves fabricadas pela Boeing, possuem tanques de combustível logo abaixo dos passageiros localizados centralmente entre as asas, o A321XLR possui tanques extras de combustível opcionais, chamados tanques RCT, que ficam dentro do compartimento de cargas, para poder atender a demanda de rotas mais longas.

Adicionalmente, segundo a Bloomberg, a Airbus também avalia a possibilidade de instalar novos tanques moldados pelas formas da fuselagem, ganhando maior capacidade de combustível sem ocupar mais espaço dos porões.

A Boeing disse à EASA (Agência de Segurança da Aviação da União Europeia) que, se algum desses tanques de combustível adicionais for exposto a um incêndio externo, por não estar adequadamente protegido de forma estrutural como está o tanque central, pode não haver tempo suficiente para os passageiros evacuarem a aeronave em segurança.

Peça Tanque Central Traseiro RCT A321XLR
Peça do tanque RCT do 1º Airbus A321XLR – Imagem: Airbus

Ainda segundo os comentários da Boeing, certos acidentes poderiam iniciar tais incêndios, como os pousos fora da pista ou falhas nos trens de pouso ocasionando pousos de barriga.

Sucesso de vendas, o Airbus A321XLR já tem mais de 450 pedidos desde 2019, substituindo os Boeings 757 e até mesmo alguns modelos de maior parte. Um atraso na certificação do modelo europeu daria à fabricante dos Estados Unidos mais tempo para desenvolver um produto concorrente.

O novo avião terá um alcance de 8.700 km e seu espaço interno poderá acomodar até 220 passageiros em uma configuração de duas classes.

Leia mais sobre o A321XLR:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Governo Dória publica edital de concessão para 22 aeroportos regionais paulistas

0
O Governo de SP lança o edital de concorrência internacional para leilão da concessão dos 22 aeroportos regionais, atualmente administrados